Afinal, a produtora que pertencia a Harvey Weinstein conseguiu encontrar um comprador. Depois de na passada semana a empresa ter revelado que ia entrar em processo de falência, devido ao falhanço das negociações com um grupo de investimento, a Weinstein Company anunciou agora que vai ser comprada na sua totalidade.

Produtora de Harvey Weinstein entrou em falência

O grupo de investimento que vai adquirir uma das produtoras mais famosas de Hollywood é liderado por Maria Contreras-Sweet, conhecida por ter encabeçado o Small Business Administration – uma agência governamental que apoia os empreendedores – durante a administração Obama. De acordo com o New York Times, o negócio inclui o pagamento integral da dívida da Weinstein Company, que acresce aos 225 milhões de dólares. Em troca, o grupo de investimento recebe a maioria dos bens da produtora, que inclui o programa de televisão “Project Runway” e uma biblioteca de 277 filmes e investe uns adicionais 275 milhões.

Este próximo passo representa a melhor maneira possível para apoiar as vítimas e proteger os funcionários”, escreveu Maria Contreras-Sweet num comunicado enviado à comunicação social.

A líder do grupo de investimento também agradeceu a Eric Schneiderman, o Procurador-Geral de Nova Iorque, por ter moderado as negociações entre as duas partes no seu próprio escritório. O plano de Maria Contreras-Sweet é fundar uma nova empresa de entretenimento e convidar os 150 funcionários da Weinstein Company para se juntarem a ela. No mesmo comunicado, disse que a nova produtora vai ser “liderada por uma administração de diretores formada por uma maioria de mulheres independentes”.

Para se demarcar das acusações de assédio e abuso sexual feitas a Harvey Weinstein, o grupo vai criar um fundo de apoio às vítimas de mais de 90 milhões de dólares. Harvey e o irmão, Bob, que juntos detêm 42% da produtora, não vão receber qualquer verba da venda.

As acusações contra Harvey Weinstein surgiram em outubro de 2017, com uma grande reportagem do New York Times. Desde aí, centenas de mulheres acusaram o todo-poderoso produtor de vários casos de assédio, abuso e até violação ao longo de décadas.

Depois de ser afastado de organizações como o Sindicato de Produtores e a Academy of Motion Picture Arts and Sciences, responsável pelos Óscares, Harvey Weinstein acabou por ser despedido pela administração da própria empresa em outubro.