A versão eléctrica do Niro, o SUV compacto da Kia, vai começar a ser entregue aos clientes sul-coreanos a partir Julho, mas o período de encomendas arrancou oficialmente esta semana, onde o modelo é proposto por (segure-se bem…) 43,5 milhões de Won sul-coreanos. O número é assustador, mas tranquilize-se, pois equivale apenas a qualquer coisa próxima dos 32 mil euros.

Os condutores portugueses vão ainda ter de esperar até ao início de 2019 para pôr as mãos no volante de um Niro 100% eléctrico, mas o início da comercialização na Coreia do Sul permite desde já que os restantes mercados tenham a certeza em relação às características técnicas do modelo, tanto mais importante quanto elas são particularmente prometedoras.

Para começar, o Kia Niro EV, que é construído sobre a mesma plataforma do Hyundai Ioniq Electric, vai estar equipado com um motor de 204 cv (150 kW), o que lhe garante desde logo um nível de acelerações muito interessante, bastando lembrar que o novo Nissan Leaf, de dimensões similares, oferece 150 cv e o Ionic Electric não passa dos 120 cv.

Se a potência impressiona, então o que dizer da capacidade da bateria, com o Niro EV a surgir em duas versões, a ME e LE, respectivamente Mid & Efficient e Long & Excellent, o que só prova que os coreanos têm efectivamente que trabalhar um pouco mais nas designações das versões.

A ME possui acumuladores com 39,5 kWh, uma capacidade ao nível do Renault Zoe ou Nissan Leaf, porque o Ioniq Electric se fica pelo 28 kWh, bateria que lhe assegura uma autonomia de 240 km, isto recorrendo a método de medição similar ao EPA americano e ainda mais restritivo do que o novo WLTP europeu, segundo o qual o Leaf percorre 270 km.

Substancialmente mais interessante é a versão LE do Niro EV, sobretudo devido à sua bateria de 64 kWh, o que atira a autonomia para 380 km (ligeiramente mais de 400 km segundo o WLTP). À capacidade de percorrer distâncias superiores, entre cada recarga da bateria, o Niro EV LE exige apenas em troca mais 2.270€, face à versão com 39,5 kWh, o que o torna muito mais competitivo.

Pena é que todos os veículos eléctricos da Kia e Hyundai continuem a ser fabricados na Coreia do Sul, o que limitará a capacidade de ambos os construtores de satisfazer a procura nos restantes mercados, especialmente o europeu e americano. Ainda sujeito a confirmação, o Ioniq Electric deverá beneficiar em breve de baterias e motorizações similares às agora anunciadas para o Niro EV. Para conhecer mais pormenores sobre as condições de venda na Coreia do Sul, pode consultar aqui o site local e… boa sorte, se não for exímio no domínio da língua.