O futuro – e não é tão longínquo quanto isso – passa pela partilha de veículos em meio urbano. É claro que o veículo, enquanto propriedade privada, não está necessariamente em risco. Mas, para circular em cidade, sem poluir e sem ter de lidar com a dificuldade em estacionar, o car-sharing, aliado aos restantes serviços de mobilidade, promete vir a estar na ordem do dia.

A Renault parece estar decidida que é este mesmo o caminho, pelo que se apresenta em Genebra com o EZ-GO Concept, um automóvel robot, sem condutor e sem comandos – para não haver tentações –, apostando já na condução autónoma, que a avaliar pelo actual estado de desenvolvimento da Waymo, a divisão para a condução sem condutor da Google, pode estar mais próxima que muitos pensam.

Com ampla – para não dizer total – superfície vidrada, necessariamente equipada com uma sistema de escurecimento para reduzir a luminosidade (e o calor) no habitáculo, o EZ-GO não oferece um interior luxuoso, mas sim vasto e prático. Entrar e sair é simples, com os ocupantes a saírem de pé e a pé, tornando a operação mais rápida e sem esforço, ideal para um veículo que pode não ter os ocupantes a bordo por mais de meia dúzia de quarteirões.

Para os “clientes” que transportem malas, carrinho de bébe ou se desloquem em cadeira de rodas, o EZ-GO tem surpresas e das boas, pois a saída e entrada fazem-se através de uma rampa, que torna fácil aquilo que tradicionalmente é mais difícil.

Segundo os técnicos da marca francesa, o futurístico veículo estará limitado a 50 km/h, para incrementar a segurança.

33 fotos