Ninguém contava com a Porsche, para o rol das surpresas do primeiro dia do salão automóvel suíço. Mas o fabricante alemão, ao surgir com o Mission E Cross Turismo, conseguiu ser o centro das atenções, propondo um modelo que se assume como a versão SUV – ou melhor CUV, porque se trata não de um Sport Utility Vehicle, mas sim de um Coupé Utility Vehicle – do Mission E, o veículo eléctrico (EV) da marca em forma de berlina familiar com características desportivas.

Com 4,95 metros de comprimento, o Cross Turismo afasta-se das linhas fluídas e esguias do Mission E, colando-se mais às do Panamera Sport Turismo, a carrinha do familiar da Porsche, isto de apesar de ser 10 cm mais curto. O construtor anuncia tracção integral, o que significa que tem um motor eléctrico em cada eixo, totalizando 440 kW, ou seja, cerca de 598 cv. Em maré de acelerações, esta potência permite-lhe atingir os 100 km/h em 3,5 segundos, para depois necessitar de 12 segundos para ultrapassar a barreira dos 200 km/h. E continua a acelerar, pois a velocidade máxima está fixada nos 250 km/h.

Saltam à vista as parecenças entre o Panamera Sport Turismo (em cima) e o concept agora revelado (em baixo)

Tal como já acontecia com o Mission E, o novo CUV EV apoia-se na plataforma do Grupo Volkswagen para os veículos eléctricos de luxo – vai também servir a Audi, Bentley e Lamborghini – e no sistema eléctrico a 800 volt, o que lhe permite tempos de recarga mais céleres. Só isto permite que o fabricante anuncie ser capaz de recarregar as baterias com o suficiente para percorrer mais 100 km, em apenas 4 minutos, o que é um valor impressionante.

Olivier Blume, CEO da marca, afirmou durante o salão que o Mission E Cross Turismo está muito próximo da versão que virá a ser produzida em série, o que deverá acontecer em 2020, uma vez que o Mission E está agendado para o próximo ano. Isto significa que a maior altura ao solo e as protecções à volta dos arcos das rodas são para manter, com o veículo a necessitar destes apontamentos para reforçar a sua filosofia de SUV. Perdão, CUV.

Chegará para bater o Tesla Model X

Se considerarmos o Model X P100D, não. A Porsche não revela ainda a capacidade da bateria do seu Cross Turismo, e, logo, a autonomia do seu eléctrico vocacionado para uma utilização fora de estrada mais civilizada, pelo que a este nível não se podem retirar grandes ilações. Porém, o Grupo Volkswagen anunciou para o I.D. Vizzion uma capacidade de 111 kWh, sendo provável que o CUV do Mission E não ande longe deste valor.

Mas ao nível da potência há uma pequena diferença em favor do Tesla, com o Model X a reivindicar mais 10 kW, cerca de 13,6 cv, o que na fasquia dos 600 cv (612 para o Tesla) importa, mas não é decisivo. Na velocidade máxima não há qualquer diferença, com ambos os EV a admitirem estarem limitados a 250 km/h, sendo que a diferença mais evidente está ao nível das acelerações. É aqui que o Porsche reclama 3,5 segundos para chegar aos 100 km/h, enquanto o Tesla necessita apenas 3,1 segundos.

Se o Cross Turismo perde nas acelerações, ganha na recarga, sem dúvida usufruindo dos novos carregadores de 350 kW da Efacec. Ao necessitar de apenas 4 minutos para abastecer de energia suficiente para percorrer 100 km, o Porsche faz melhor do que o Tesla, que no mesmo período, recupera energia para percorrer apenas 43 km, limitado pelo seu carregador a 120 kW. Resta conhecer o preço, bem como o upgrade que o construtor americano poderá realizar neste seu modelo (em 2020, quando o Cross Turismo surgir, o Model X terá já uma tecnologia com cinco anos), agora que, finalmente, começa a ter adversários à altura.