A Tesla é um pequeno fabricante de automóveis eléctricos, que faz a vida negra aos grandes, especialmente porque estes apenas agora se começaram a dedicar a produzir automóveis alimentados por baterias. As poucas mais de 100.000 unidades produzidas em 2017 tornam a marca de Elon Musk num construtor de nicho de mercado, mas se a Tesla é pequena, então o que dizer da Rimac Automobili, um fabricante croata cuja aventura foi iniciada há 10 anos pelo seu fundador, Mate Rimac, na garagem lá de casa. Porém, nada disto interessa, pois a realidade é esta: estes dois fabricantes são de longe os melhores no que toca a produzir carros eléctricos de elevadas prestações.

Quando Mate Rimac decidiu estropiar o seu velho BMW E30 de 1984 e transformá-lo num carro eléctrico – isto depois de o motor ter explodido numa prova de drift –, dificilmente imaginaria que, passada uma década, era um dos que dava cartas nos eléctricos superdesportivos. O seu primeiro modelo original foi o Concept_One, um superdesportivo de dois lugares, baixo e largo, com 1.850 kg e 1.288 cv, que era capaz de ir de 0 a 100 km/h em somente 2,8 segundos (e 0-60 milhas por hora em 2,5 segundos). E atingir 355 km/h. Era tanta a rapidez deste modelo, que começou a produzir em 2014 que, entre outros, deu um bigode no arranque ao Bugatti Veyron.

Agora em Genebra, a Rimac decidiu dar mais um passo em frente e apresentou o C_Two, um supercarro ainda mais elegante, igualmente desportivo e substancialmente mais possante. Os motores eléctricos, distribuídos pelos dois eixos fornecem um total de 1.888 cv, que alimenta através de um pack de baterias com uma capacidade de 120 kWh, o que lhe permite uma autonomia de 650 km (NEDC). Está claro que, se em vez de uma condução poupada, optar por explorar por extrair o máximo que o Rimac C_Two tem para dar, é coisa para ficar parado muiiiito antes disso.

O novo veículo de Mate Rimac possui quatro motores – um por cada roda –, cada um deles associado a um caixa redutora, com as da frente a possuírem uma só velocidade, ou desmultiplicação, enquanto as traseiras exibem duas. É assim que os 1.888 cv e, mais importante do que isso, os 2.300 Nm, são distribuídos pelas quatro rodas.

Com 1,85 segundos de 0-100 km/h, o Rimac C_Two fica muito próximo dos 1,8 do Tesla Roadster, mas os seus 415 km/h parecem ultrapassar os “mais de 400 km/h” anunciados pelo carro americano. Do C_Two apenas vão ser fabricadas 150 unidades, com a Rimac a informar que o modelo estará disponível com condução autónoma e equipado com oito câmaras, 12 sensores ultrassónicos, seis radares e dois LiDAR. Preço e data de lançamento é que ainda não sabemos. Veja a apresentação aqui:

https://www.facebook.com/RimacAutomobili/videos/2031704046843119/