Pedro Passos Coelho

Alunos do ISCSP fazem abaixo-assinado contra ida de Passos Coelho

6.774

Grupo e alunos do ISCSP fez um abaixo-assinado contra a ida de Passos Coelho para aquela faculdade. Segundo o Jornal de Negócios, contratação do ex-primeiro-ministro é "uma afronta à meritocracia".

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Um grupo de alunos do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) fez um abaixo-assinado contra a contratação do ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho como professor de mestrado e doutoramento daquela faculdade de Lisboa. Segundo avança o Jornal de Negócios, que teve acesso ao texto do protesto, os alunos criticam a decisão da faculdade, dizendo que se trata de “uma afronta à transparência e à meritocracia, prejudicando os estudantes, o restante corpo docente e, em última instância, até a própria instituição de ensino”.

Esta não é a primeira vez que os alunos do ISCSP protestam contra Passos Coelho. Foi também ali que, em 2013, o então primeiro-ministro foi recebido com uma manifestação a pedir a sua demissão, numa altura em que o Governo estava sob programa de assistência financeira e apertava o cinto da austeridade. Desta vez o assunto é outro: a questão é o grau de “professor convidado catedrático” que lhe foi conferido para dar aulas de Economia e Administração Pública a turmas de mestrado e doutoramento — com salário equiparado ao de professor catedrático, que é o topo da carreira docente no ensino universitário.

Segundo o Negócios, os alunos reconhecem a “vasta experiência prática” de Passos Coelho, mas defendem que “a sua capacidade para leccionar aulas a discentes com um grau académico superior ao seu é altamente questionável”. E continuam: “não é plausível que alguém que nunca leccionou, nunca preparou uma tese na sua vida, nunca trabalhou em investigação e nunca teve um percurso académico minimamente relevante seja capaz de preparar alunos de mestrado e doutoramento”.

Tudo isso, resumem, aliado ao salário de professor catedrático que dizem ser “obsceno” tendo em conta a formação académica de Passos Coelho, faz com que considerem que a contratação para aquelas funções é “uma ofensa grave à meritocracia inerente ao percurso académico normal de um docente universitário”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt
Política

O PS é que sabe fazer política!

António Valle
837

Passos quis mudar a mentalidade e a cultura política. António Costa, que personifica a velha mentalidade e a velha cultura política, não deixou. Não quis! E travou a necessária mudança.

Pedro Passos Coelho

Coragem

Alexandre Homem Cristo
849

É razoável supor que os protestos produziram dano efectivo na vida de Passos Coelho: antes havia três universidades interessadas na sua contratação, depois dos protestos só uma realmente avançou.

PSD

Primavera chuvosa (e um até já)

Maria João Avillez
139

Convinha reparar que na cave e subcave onde se fabrica o veneno, a temperatura da indignidade e o grau da brutalidade – do insulto, da falsidade, do ódio – atingem picos que nunca se viram, nem usaram

Política

Um partido não é uma família

Sandra Clemente
142

PSD, PS, BE, CDS e CDU, em 20 anos, perderam cerca de 850 mil votos, mas não assusta esta crescente insignificância dos partidos existentes, só assusta a possibilidade de novos partidos aparecerem.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)