O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, saudou esta quinta-feira em Bruxelas a nomeação de Catherine Bolle para a liderança da Europol, considerando que a inédita designação de uma mulher para este cargo tem “uma forte marca simbólica”.

“A reunião de ministros do Interior de hoje foi marcada antes de mais por uma decisão importante com uma forte marca simbólica que, como anterior ministro que acompanhou as áreas da igualdade e num dia em que em Portugal também se tomaram decisões importantes nessa área, eu queria realçar: a aprovação pelos ministros, pela primeira vez, de uma mulher, belga, para liderar a Europol”, disse.

Eduardo Cabrita, que falava aos jornalistas após participar num Conselho de Assuntos Internos, considerou que a nomeação de Bolle “é importante para o futuro da Europol”, apontando que, “no dia 8 de março (Dia Internacional da Mulher), não queria deixar de referir essa marca nesta área tão importante da coordenação policial à escala europeia”.

Os ministros dos Assuntos Internos dos 28 formalizaram esta quinta-feira a designação da belga Catherine Bolle, que se torna assim a primeira mulher a dirigir a agência da UE responsável pela luta contra a criminalidade.

Bolle, que dirige a polícia federal belga, vai assumir a liderança da agência, com sede em Haia, no próximo dia 1 de maio, por um mandato de quatro anos, sucedendo no cargo ao britânico Rob Wainwright.