O tenista Roger Federer admitiu esta sexta-feira que a Taça Davis “deve ser renovada”, embora não tenha a certeza de que os planos de reforma propostos pela Federação Internacional de Ténis (ITF) sejam “a coisa certa a fazer”.

“A organização teve que fazer alguma coisa, mas se é o ideal, não sei”, disse à AFP o atual número 1 do circuito, referindo-se ao novo formato da competição. “Prefiro esperar e ver [com as mudanças] se este evento é ,ou não, tão incrível quanto pensamos”, continuou Federer.

Se a nova fórmula — apresentada ao comité de direção da ITF em fevereiro — for adotada em agosto, o evento ganhará uma nova organização a partir de 2019. Em vez de ser disputada em quatro fins de semana ao longo da temporada, a competição ocorrerá durante uma única semana num local único no final da temporada.

O projeto foi criticado por vários jogadores, incluindo o capitão da equipa francesa, Yannick Noah, que venceu a edição de 2017. O formato precisa de uma aprovação de uma maioria de dois terços na Assembleia Geral da Federação Internacional de Ténis, agendada para o mês de agosto, em Orlando (EUA).