As equipas onde jogam os principais goleadores na Europa jogaram quase todas este sábado, à exceção do Tottenham de Harry Kane que defronta este domingo o Bournemouth na ressaca de uma complicada eliminação europeia frente à Juventus em Wembley após ter saído a ganhar ao intervalo. Vamos então aos outros.

Jonas como Eusébio. Como Nené. Como JVP. Como Cardozo. Mas, afinal, Jonas é único

Lionel Messi, o argentino do Barcelona que leva 24 golos na Liga espanhola, não viajou com a equipa para Málaga por ter sido pai pela terceira vez mas os catalães venceram por 2-0 com golos de Luís Suárez e Philippe Coutinho ainda dentro da primeira meia hora, reforçando a liderança no Campeonato.

Edison Cavani, o uruguaio do PSG que leva 24 golos na Liga francesa, não entrou nas opções de Unai Emery, que viu o conjunto parisiense golear no Parque dos Príncipes o Metz por 5-0 (bis de Nkunku, Meunier, Kylian Mbappé e Thiago Silva) e dar mais um passo rumo ao mais do que anunciado triunfo no Campeonato.

Salah, o egípcio do Liverpool que leva 24 golos na Liga inglesa, foi titular no conjunto de Jürgen Klopp em Old Trafford mas não conseguiu ter grande influência num encontro onde o Manchester United de José Mourinho venceu por 2-1 com bis de Rashford (Bailly marcou na própria baliza), perdendo a oportunidade de saltar de forma isolada para o segundo lugar em vésperas de conhecer o adversário nos quartos de final da Champions.

Depois, há Jonas. E, com esse, a história é sempre outra: naquilo que parecia algo impossível, tendo em conta a ponderação de 1.5 pontos/golo que Portugal tem nesta altura por causa do ranking (no ano passado era 2, como as principais ligas), o brasileiro voltou a marcar, chegou ao 31.º golo no Campeonato e está apenas a 1.5 pontos dos quatro líderes da classificação da Bota de Ouro quando nos aproximamos do final da temporada.

Em paralelo, além de ter superado o registo de Eusébio no número de jornadas a marcar numa só edição da Liga, como tínhamos escrito a semana passada, o avançado brasileiro tornou-se também o mais velho a marcar 31 golos num Campeonato e quando faltam ainda oito jornadas até ao final do mesmo. Até agora, dez jogadores tinham atingido esta marca: Peyroteo, Martins, Matateu, Eusébio (três vezes), Yazalde, Fernando Gomes (duas vezes), Jordão, Magnusson, Jardel (três vezes) e Bas Dost. E está apenas a um de poder igualar a marca de golos com que terminou 2014/15 (32 em 34 partidas).

* notícia corrigida e atualizada a 11 de março às 15h