Marine Le Pen, a única candidata à sua sucessão, foi reeleita, sem surpresas, presidente do partido francês Frente Nacional com 100% dos votos expressos, após uma votação por correspondência, cujos resultados foram proclamados hoje na convenção do partido.

A líder da Frente Nacional, de 49 anos, começa um terceiro mandato como líder do partido que preside desde que assumiu o cargo de pai em 2011 e para o qual irá propor um novo nome hoje à tarde, segundo a agência de notícias France-Presse (AFP).

Ex-conselheiro de Trump com Le Pen. “Deixem que vos chamem racistas”

Proposta para novo nome do partido foi slogan em 1986

No congresso da Frente Nacional, Marine Le Pen propôs também a alteração do nome do partido para Rassemblement National, traduzível para Reencontro Nacional. Perante os militantes, a presidente do partido defendeu a mudança de nome do partido referindo que a atual designação “é para muitos franceses um travão psicológico”.

“O nome Frente Nacional é portador de uma história épica e gloriosa que ninguém pode negar. Mas vocês sabem que ele é para muitos franceses um travão psicológico. Vocês compreenderam isso porque têm encontrado outros eleitores, e para alguns deles é um travão para se juntarem a nós ou para votarem e nós”, disse.

Sobre o novo nome, disse que este “carrega uma mensagem política” e que indica o conteúdo do nosso projeto político para França”. A palavra Rassemblement foi escolhida por causa da “vontade de reencontro” entre os franceses. “Numa altura em que a maioria dos franceses querem um reencontro de todas as energias, este nome deve ser um grito de união, um apelo a que nos unamos, lançado a todos que têm a França no coração”, disse.

A proposta de mudança não inclui o logótipo do partido, que deverá continuar a ser composto de chamas com as cores da bandeira francesa.

“Reencontro Nacional” já tinha sido o lema da Frente Nacional nas legislativas de 1986, aquele partido de extrema-direta, então liderado por Jean-Marie Le Pen, pai da atual líder, teve 9,65% dos votos.

O congresso da Frente Nacional acontece menos de um mês depois do congresso fundacional d’Os Patriotas, partido fundado pelo antigo número 2 de Marine Le Pen, Florian Philippot.

Ex-número 2 de Marine Le Pen funda novo partido e critica a Frente Nacional