Nos EUA, como em todos os outros mercados, da Europa ao Japão, passando especialmente pela China, os veículos eléctricos estão de vento em popa. As vendas não crescem ao ritmo que muitos gostariam, ou esperavam, mas a realidade é que aumentam, e de forma decidida. Num mercado em que 14 modelos, de 12 diferentes fabricantes, disputaram as preferências dos condutores que procuravam, importa saber quem foi o mais popular, mesmo se existem diferenças consideráveis em matéria de dimensões e, por consequência, de preço.

A Tesla tem a vantagem de jogar em casa. Mas fica-se por aí, pois as taxas a que os seus veículos estão sujeitos são as mesmas dos restantes, o mesmo acontecendo com os incentivos fornecidos pelo Estado, num esforço para limitar as emissões. Mas a marca de Elon Musk não foi a única americana presente, uma vez que também a General Motors e a Ford comercializam, respectivamente, o Bolt EV e o Focus Electric.

Aos construtores locais juntam-se os europeus, japoneses e sul-coreanos, também eles a produzir localmente a maioria dos veículos que vendem nos EUA. Por último, importa ver como se comporta o Mercedes eléctrico, cuja electrificação esteve a cargo da Tesla, nos tempos em que os alemães eram accionistas da marca americana. Veja na fotogaleria quais os modelos que venderam mais e os que, por outro lado, cativaram menos clientes.