Rádio Observador

Espaço

Identificados 15 novos planetas, incluindo uma ‘Super Terra’ com probabilidade de água

Quinze novos planetas fora do Sistema Solar, incluindo uma 'Super Terra' com condições para ter água líquida à superfície, foram identificados por cientistas do Instituto de Tecnologia de Tóquio.

IAU / Martin Kommesser / HANDOUT/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Cientistas identificaram 15 novos planetas fora do Sistema Solar, a orbitar estrelas anãs vermelhas, incluindo uma ‘Super Terra’ com condições para ter água líquida à superfície, foi anunciado esta segunda-feira.

Segundo uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Tóquio, no Japão, uma de três ‘Super Terras’ detetadas a girar em torno de uma das anãs vermelhas mais brilhantes, a K2-155, a cerca de 200 anos-luz do ‘planeta azul’, poderá estar na chamada ‘zona habitável’ da estrela.

A zona habitável é uma região do espaço que não é demasiado quente nem demasiado fria para a água líquida existir à superfície de um planeta. A água é um elemento essencial para a vida tal como se conhece.

Os cientistas sustentam a sua hipótese em simulações climáticas tridimensionais. Uma estimativa mais precisa do raio e da temperatura da estrela será necessária para validar a hipótese, admitem.

O planeta em questão, o K2-155d, o mais distante das ‘Super Terras’, assim designadas por serem ligeiramente maiores do que a Terra, tem um raio 1,6 vezes maior do que o ‘planeta azul’.

As anãs vermelhas são estrelas pequenas e frias, com uma temperatura à superfície inferior a 3.726ºC (o Sol tem uma temperatura à superfície na ordem dos 5.504ºC).

Os resultados da descoberta, descritos em dois artigos publicados na revista The Astronomical Journal, baseiam-se em dados recolhidos pela segunda missão da sonda norte-americana Kepler e em observações posteriores a partir de telescópios terrestres, como o Subaru, no Havai, nos Estados Unidos, e o Telescópio Ótico Nórdico, nas Canárias, em Espanha.

Há um ano, uma equipa internacional de astrónomos, incluindo a portuguesa Catarina Fernandes, que participou nas observações, descobriu um sistema de sete planetas a orbitar uma anã vermelha, a TRAPPIST-1, localizada a uma distância inferior da Terra, a 40 anos-luz.

Alguns destes planetas poderão ter potencialmente mais água do que o ‘planeta azul’, de acordo com um novo estudo divulgado em fevereiro, sendo que o quarto a contar da estrela é o mais parecido com a Terra em termos de tamanho, densidade e radiação recebida.

Meses antes, em agosto, uma outra equipa de astrónomos anunciara a descoberta de um planeta extrassolar a orbitar a estrela mais próxima do Sol, a Próxima de Centauro, também uma anã vermelha, mas situada a 4,22 anos-luz.

O planeta Próxima b, o mais perto da Terra, tem uma temperatura adequada para ter água líquida à sua superfície, pelo menos nas regiões mais quentes. Contudo, tem uma massa 1,3 vezes maior do que a Terra.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)