PSD

Feliciano agradece “confiança reforçada” de Rio e diz que não fez “nada de errado”

O secretário-geral do PSD diz que a principal acusação de que foi alvo "caiu por terra" com as declarações da professora de Berkeley ao Observador. Diz ser alvo de "campanha ignominiosa".

MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O secretário-geral do PSD garante, em comunicado enviado às redações, que “nada fez de errado” no processo de Berkeley e que todos os documentos são “inequívocos” quanto à sua “inocência“. Feliciano Barreiras Duarte agradece ainda ao presidente do PSD, Rui Rio, pela “confiança reforçada”. Quanto ao inquérito anunciado esta terça-feira pela PGR, Feliciano Barreiras Duarte garante que “vai ao encontro” dos seus “mais profundos desejos de ver esta situação cabal e completamente esclarecida”. O deputado do PSD diz ainda que a nota que a universidade enviou ao Observador prova que a professora deu “como verdadeiro um documento que antes tinha garantido que era falso”. E assim argumenta: “A principal e mais grave acusação de que tenho sido alvo, a de falsificação de documentos, em que alguns acreditaram, cai por terra.”

Barreiras Duarte afirma que tem “sido alvo de uma campanha ignominiosa” que o afeta a si e à sua família de forma “tão grave”, mas que, em última análise, “tem o objectivo principal de atacar a direção do PSD e em particular o seu líder, Rui Rio”.

O social-democrata afirma que vai “esperar, serenamente e em silêncio absoluto” mas “magoado, pelos resultados do inquérito da PGR”. E acrescenta: “Sofri muito nos últimos dias, por causa deste vilipêndio; sou filho, irmão, marido e Pai, e todos os meus, incluindo os amigos, sofreram comigo”. E vem então o agradecimento a Rui Rio: “Agradeço ao presidente do PSD e a toda a sua Direcção, bem como a centenas e centenas de pessoas anónimas, a confiança que me foi reforçada nestes dias e que muito me honrou e sensibilizou”.

Quanto ao “processo de Berkeley”, Barreiras Duarte esclarece:”Todos os movimentos e ações relacionados com esse caso estão devidamente documentados e são inequívocos quanto à minha inocência; fui convidado para “visiting scholar” (estatuto que não confere qualquer grau académico) e não me fiz convidado; não tirei qualquer proveito da Universidade de Berkely – nem financeiro, nem académico, nem profissional, nem político”.

Barreiras Duarte promete ainda que vai processar pessoas por difamação. “Depois de tudo esclarecido, o que inevitavelmente vai suceder, reservo-me o direito de usar todos os meios legais ao meu alcance para recuperar a minha reputação e ser ressarcido das perdas e danos morais que me causaram e à minha família”, avisa o secretário-geral do PSD.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)