António Guterres vai estar presente nas celebrações dos 50 anos da comunidade Islâmica de Lisboa. O encontro de reflexão começa esta sexta-feira e termina no sábado e conta com vários debates.

A Comunidade Islâmica de Lisboa celebra esta sexta-feira e sábado 50 anos de existência com a realização de um encontro na Mesquita de Lisboa, no qual participa o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

O encontro de reflexão decorre até sábado, na Mesquita de Lisboa, mas neste dia contará com as presenças também do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e do imã da Universidade de Al Azhar (Cairo), Ahmad Mohammad El Tayyeb.

Durante a cerimónia será apresentada a emissão filatélica, que celebra os 50 anos da Comunidade Islâmica em Lisboa.

A série filatélica é composta por quatro selos, em que cada um reproduz imagens da entrada da Mesquita em Lisboa, da Purificação do corpo, da Oração e do pátio interior da Mesquita, enquanto o bloco filatélico exibe a Mesquita Central de Lisboa, à Palhavã, e a sua sala de oração. O design esteve a cargo do AF Atelier.

No encontro estão previstos debates sobre os temas “Sociedade Portuguesa hoje: Religiosidade, Imigrações, Religiões” e “Segurança e Cidadania”.

A Comunidade Islâmica de Lisboa foi constituída em 1968 por um grupo de universitários muçulmanos que, na altura, se encontravam a estudar na capital portuguesa, oriundos das ex-províncias ultramarinas portuguesas.

A primeira solicitação de um terreno, feita à Câmara Municipal de Lisboa para a construção de uma Mesquita, foi em 1966, por uma comissão composta por cinco muçulmanos e cinco católicos, no entanto, só em setembro de 1977 foi cedido um terreno na avenida José Malhoa.

O lançamento da primeira pedra aconteceu em janeiro de 1979 e a inauguração da primeira fase de construção realizou-se em 29 de março de 1985.

A Mesquita Central de Lisboa é um projeto dos arquitetos António Braga e João Paulo Conceição, e o seu imã é o xeque David Munir. Em Portugal vivem cerca de 50 mil muçulmanos, segundo Abdool Vakil, um dos jovens que fundou a comunidade em 1968, e que atualmente é o seu presidente.