Rádio Observador

Benfica

Rui Vitória pede “raça, crer e determinação” na Feira e realça ida de Rúben Dias à seleção

O treinador do Benfica apontou como 'ingredientes' para o sucesso na visita ao Feirense "raça, crer e determinação", destacando a chamada de Rúben Dias à seleção principal.

MÁRIO CRUZ/LUSA

O treinador do Benfica apontou esta sexta-feira a “raça, crer e determinação” como ‘ingredientes’ para o sucesso na visita ao Feirense, na 27.ª jornada da I Liga de futebol, e destacou a chamada de Rúben Dias à seleção principal.

“A raça, crer, determinação, convicção têm de estar presentes em todos os momentos competitivos. Vai ser um jogo exigente, contra uma equipa que se vai bater de forma determinada e da qual gosto particularmente, pela forma como se entrega ao jogo. Temos de colocar as nossas valências em campo”, afirmou Rui Vitória, em conferência de imprensa.

O técnico, que fazia a antevisão da partida da 27.ª jornada, desvalorizou o possível mau estado do relvado do estádio Marcolino de Castro e frisou que os ‘encarnados’ sabem adaptar-se às circunstâncias.

“Não gosto de falar de ‘ses’. Nós somos animais de competição, adaptamo-nos às circunstâncias. Amanhã [sábado], em função do que o jogo ditar, estaremos preparados para a competição. Essas questões climatéricas podem acontecer em qualquer campo”, referiu.

Rui Vitória assegurou ainda que a derrota do FC Porto em Paços de Ferreira, na ronda anterior, e que deixou o Benfica a dois pontos da liderança, não tem qualquer influência na forma como as ‘águias’ se vão apresentar em Santa Maria da Feira.

“Não é por os outros perderem que vamos alterar a nossa forma de estar. Os meus jogadores aparecerão com a mesma tranquilidade e segurança, e nem havia razão para outra abordagem. Sempre disse e vou continuar a dizer que o nosso grande foco somos nós. O que nos guia é o nosso trabalho e não os resultados dos outros”, sublinhou.

A primeira chamada de Rúben Dias à seleção nacional A, que este mês vai disputar dois encontros de preparação para o Mundial2018, com Egito e Holanda, mereceu elogios por parte do treinador benfiquista. Rui Vitória acredita que o jovem central, de 20 anos, “virá ainda melhor”, depois de trabalhar com os eleitos de Fernando Santos.

“Uma chamada à seleção vai acelerar aquela cabeça, pernas e o organismo todo. É um jovem que cresceu no Benfica e que, de repente, está na seleção nacional. Os últimos centrais do Benfica chamados à seleção foram, se calhar, o Paulo Madeira e o Hélder Cristóvão, há muito tempo. Estou convencidíssimo que o Rúben vai trabalhar ao pé dos bons e, portanto, ainda virá melhor. Não acredito que venha mais cansado. Virá, sim, motivado”, disse.

Por outro lado, Vitória mostrou-se, “de certa maneira”, admirado pela ausência de Jonas da convocatória do Brasil, embora tenha ressalvado que “a vida dos selecionadores é difícil”, ainda mais quando se trata de um país “com 200 milhões de pessoas”.

Benfica, segundo classificado com 65 pontos, e Feirense, 16.º e antepenúltimo com 23, jogam no sábado, a partir das 18h15, no Estádio Marcolino de Castro, em Santa Maria da Feira.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)