O ministro da Defesa venezuelano, general Vladimir Padrino López, denunciou esta segunda-feira a violação do espaço aéreo do seu país por um avião militar norte-americano.

“O espaço aéreo venezuelano foi violado uma vez mais por uma aeronave norte-americana”, denunciou, numa transmissão em direto do canal estatal Venezuelana de Televisão (VTV), durante uma cerimónia dirigida às Forças Armadas Venezuelanas (FAV), em Los Próceres, junto do Forte de Tiúna, a principal base militar de Caracas.

Segundo Vladimir Padrino López, os EUA têm violado múltiplas vezes o espaço aéreo venezuelano, situação que se tem intensificado nos últimos anos.

O ministro disse que no incidente deste dia esteve envolvido um Boeing C17 das Forças Aéreas norte-americanas, que descolou da base Hato, em Curazao e que é a segunda vez que um avião norte-americano viola o espaço aéreo sobre o mar territorial do arquipélago de Los Monjes.

Durante a cerimónia, Padrino López denunciou ainda que durante o último fim de semana, através das redes sociais, foram enviadas “mensagens subliminares” aos militares venezuelanos e vincou que às FAV “nenhum senhor imperialista lhes dá ordens”, que estão fortes, coesas, com consciência patriota nacional e democrática inviolável.

Segundo Vladimir Padrino López, se os países estrangeiros querem estabelecer um canal de ajuda humanitária para alimentos e medicamentos, devem começar por “desbloquear económica e financeiramente” a Venezuela.