A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse esta segunda-feira que o acordo alcançado entre Londres e Bruxelas sobre o período de transição após o “Brexit” demonstra que, com “boa vontade”, ambas as partes poderão alcançar um compromisso para o futuro.

Creio que o que isto demonstra é que, com boa vontade de ambas as partes, e trabalhando duro, podemos chegar a um acordo de futuro que seja do interesse do Reino Unido, do interesse da União Europeia e bom para todo o Reino Unido”, disse a chefe do executivo conservador britânico.

O chefe das negociações da UE para o dossier “Brexit”, Michel Barnier, informou esta segunda-feira que Bruxelas e Londres alcançaram um acordo sobre “grande parte” do acordo para a saída do Reino Unido, incluindo um período de transição até dezembro de 2020, a começar quando o Reino Unido saia da UE, a 29 de março de 2019.

Brexit. União Europeia chega a acordo para período de transição de dois anos

A resposta da primeira-ministra britânica surge após meses de críticas por parte dos partidos da oposição no Reino Unido quanto à evolução das negociações para o Brexit.

Em dezembro, a UE e o Reino Unido anunciaram ter chegado a acordo quanto à primeira fase da saída, envolvendo os direitos dos cidadãos comunitários em território britânico, a fronteira entre Irlanda do Norte e a República da Irlanda e a fatura que Londres deverá pagar pela saída.

A mensagem que o povo pode tirar disto é que antes de dezembro as pessoas questionavam-se sobre se chegaríamos a um acordo nessa altura. Chegamos. As pessoas também se questionavam se hoje chegaríamos a um acordo, e chegamos”, realçou Theresa May.

Barnier e o negociador do “Brexit” por parte do Reino Unido, David Davis, qualificaram o acordo como um “passo decisivo” nas negociações. No entanto, ainda está por resolver a questão, complicada politicamente, da fronteira entre as duas Irlandas, já que o objetivo é que se mantenha invisível para não prejudicar o acordo de paz em vigor.

Espera-se que o período de transição após a saída do Reino Unido dure entre 29 de março de 2019 até dezembro de 2020. O objetivo é ajudar empresas e cidadãos a prepararem-se para uma nova relação entre as duas partes.

Graças ao acordo desta segunda-feira, os cidadãos comunitários poderão entrar no Reino Unido como até agora durante o período de transição. Por seu lado, Londres poderá negociar acordos comerciais com países terceiros, mas estes não entrarão em vigor até ao termo do período de transição.

Os termos do acordo terão de receber luz verde na reunião de líderes comunitários que se celebra no final da semana, em Bruxelas.