Os três feridos resultantes da explosão de um prédio no domingo, em Peniche, não inspiram cuidados, tendo dois deles tido alta hospitalar, disseram esta segunda-feira à Lusa fontes hospitalares. O homem, de 27 anos, que foi transportado de helicóptero para Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra em estado grave com queimaduras no rosto, não corre perigo de vida, nem inspira cuidados, encontrando-se internado no serviço de cirurgia plástica, disse fonte daquele hospital à agência Lusa.

As duas mulheres, de 76 e 46 anos, uma das quais em estado grave por ter queimaduras no rosto, já tiveram alta, depois de serem atendidas respetivamente nas urgências de Peniche e de Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste, disse à Lusa fonte deste centro hospitalar.

A explosão ocorreu no rés-do-chão de um prédio de dois andares, na zona velha de Peniche, pelas 13h30 de domingo, após acumulação de gás no interior da casa, na cozinha, explicou à Lusa o segundo comandante dos bombeiros de Peniche, Alexandre Barradas.

A explosão provocou queimaduras nos dois moradores do rés-do-chão e atingiu também outra moradora do primeiro andar do edifício. No local, estiveram nove veículos e 24 operacionais dos bombeiros de Peniche, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e Polícia de Segurança Pública (PSP).