O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deixou esta segunda-feira um apelo a todos os protagonistas do futebol português: que o desporto-rei se manifeste “sempre a mesma grandeza” e não haja apenas elevação quando se trata de defender Portugal “lá fora”, mas “cá dentro também”.

Marcelo Rebelo de Sousa subiu ao palco da Gala Quinas de Ouro 2018, que decorre em Lisboa, por duas vezes: a primeira para condecorar os recém-campeões europeus de futsal e a segunda para ele próprio receber um galardão, o Prémio Presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

“Se me é permitido um apelo: que neste domínio do futebol, como em todos os desportos, que se manifeste sempre a mesma grandeza. Não seja apenas a elevação quando se trata de defender Portugal lá fora, a nível de seleções nacionais, ou de clubes. Seja cá dentro também. Saibamos manter o mesmo espírito, a mesma grandeza, a mesma elevação porque os portugueses merecem”, pediu.

O Presidente da República fez questão de sublinhar que este prémio não lhe era atribuído pessoalmente, mas sim ao chefe de Estado. “É dado a todos os portugueses. O ano passado foi à diáspora, aos portugueses espalhados pelo mundo. Este ano é a todos: os que vivem cá dentro, no nosso território físico, os que vivem no fim do mundo porque eles são a razão de ser daquilo que é a vossa luta, que é o vosso trabalho, que é a vossa dedicação”, considerou.

São os portugueses, de acordo com Marcelo Rebelo de Sousa, que acompanham todos os profissionais do mundo do futebol “nas vitórias, nas derrotas, nas alegrias, nas provações”. “Este prémio é deles, não é meu. Eu sou apenas o representante deles. Os portugueses que eu represento são eles os verdadeiros vencedores da sua luta do dia-a-dia”, sublinhou.

Em nome de todos os portugueses, Presidente da República agradeceu este prémio e concluiu o seu breve discurso com uma palavra motivacional: “Nós somos, de longe, o melhor país do mundo. Viva Portugal”.

Cristiano Ronaldo pede mais valorização dos futebolistas portugueses

Cristiano Ronaldo, que recebeu o prémio de melhor jogador futebol do ano na Gala Quinas de Ouro, em Lisboa, pediu que valorizem mais os futebolistas portugueses e que “pensem grande”, sem medo de terem ambição.

“Aborrece-me ver o valor que em Portugal dão aos estrangeiros, não vejo tanto valorizar o que é nosso, os jogadores portugueses”, defendeu o avançado da seleção nacional e do Real Madrid, na gala anual da Federação Portuguesa de Futebol. “Ano após ano, temos de partir pedra, estar na luta e mostrar que somos os melhores. Pensem grande”, acrescentou

Os finalistas do prémio foram Bernardo Silva (Manchester City), Rui Patrício (Sporting) e Cristiano Ronaldo, que sem surpresa recebeu de Alexander Ceferin, presidente da UEFA, mais um troféu para o seu longo palmarés. Ceferin classificou-o como “um jogador único”, que alia às melhores qualidades de um excelente jogador “magia, um dom”.

FPF

Nos agradecimentos, Cristiano Ronaldo não esqueceu “todos os companheiros de seleção” e estendeu o aplauso ao presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, “um grande amigo”. Teve também palavras de apreço para o futsal, pela “grande conquista” do campeonato da Europa.

“O ano de 2017 foi outra vez excelente, a nível individual e coletivo. Com a seleção, perdemos o primeiro jogo, voltámos atrás, fomos à luta e ganhámos o grupo [de qualificação para o Mundial2018]. No Real Madrid, foi um ano histórico para nós, ganhámos cinco troféus”, afirmou o capitão da seleção, de 32 anos.

Campeão espanhol, vencedor da Liga dos Campeões, da Supertaça espanhola, da Supertaça europeia e do Mundial de clubes em 2017 com o Real Madrid, Cristiano Ronaldo arrecadou a Bola de Ouro e o prémio The Best, da FIFA, que distinguem o melhor jogador do ano.

Visivelmente bem-disposto, Cristiano Ronaldo, quando estendeu os agradecimentos à família, falou de “mais um recorde” na vida pessoal: “Foram três filhos em quatro meses, estou muito contente com isso, que acho que também é um recorde”.

Na cerimónia, foi ainda apresentado o novo equipamento da seleção nacional de futebol, ao som da música do português Richie Campbell.

Todos os premiados desta gala:

Jogador masculino do ano: Cristiano Ronaldo

Equipa masculina do ano: Seleção Nacional

Prémio presidente da FPF: Marcelo Rebelo de Sousa

Jogador sub-21 revelação do ano: Gonçalo Guedes

Jogadora sub-21 revelação do ano: Ana Capeta

Equipa do ano feminina: Seleção Nacional

Treinador de futebol feminino: Francisco Neto

Jogadora de futebol feminino: Ana Borges

Prémio Prestígio/Carreira: Fernando Peyroteo

Onze da Liga Feminina: Rute Costa, Matilde Fidalgo, Carole Costa, Mariana Azevedo, Joana Marchão, Fátima Pinto, Dolores Silva, Tatiana Pinto, Ana Borges, Diana Silva e Andreia Norton

Onze da Segunda Liga: Ricardo Ribeiro, Diogo Dalot, Bura, Rúben Dias, José Gomes, Chiquinho, Paulinho, Fede Varela, Carlos Vinicius, Pires e Galeno

Onze da Primeira Liga: Rui Patrício, Nélson Semedo, Coates, Felipe, Alex Telles, Danilo Pereira, William Carvalho, Pizzi, Gelson Martins, Jonas e Brahimi

Árbitro do ano 1.ª categoria: Jorge Sousa

Árbitro assistente do ano 1.ª categoria: Rui Licínio

Árbitra do ano Liga Feminina: Catarina Campos

Árbitro do ano Campeonato de Portugal:  Rui Soares

Árbitro do ano Liga Sport Zone: Cristiano Santos

Treinador de futebol masculino: Leonardo Jardim

Treinador de futebol de formação: João Tralhão

Treinador revelação: Nuno Manta

Prémio Vasco da Gama/Internacionalização/Expansão/Portugalidade: José Mourinho

Melhor jogador de futsal: Ricardinho

Melhor jogadora de futsal: Ana Azevedo

Treinador de futsal feminino: Bruno Fernandes

Treinador de futsal masculino: Nuno Dias

Jogador de futebol de praia: Madjer

Treinador do ano de futebol de praia: Mário Narciso

Prémio Escolar: Os Afonsinhos

Prémio Universitário: Universidade Beira Interior

Prémio Futebol Inclusivo: Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência