Pelo menos 20 civis foram mortos em 24 horas na cidade síria de Douma, ocupada pelas forças rebeldes do governo de Bashar al-Assad, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

Segundo a mesma fonte, sete civis foram mortos esta segunda-feira e 13 no domingo à noite em ataques aéreos e disparos de artilharia do regime sírio em Douma. Os ataques ocorreram após um período de calma em Douma, a maior cidade do leste de Ghouta Oriental, de onde foram retiradas dezenas de civis e feridos na passada semana.

Um correspondente da agência noticiosa France-Presse relatou o ambiente vivido na região, onde presenciou o trabalho de dois socorristas que procuravam possíveis sobreviventes enterrados sob os escombros, durante a noite e à luz de pequenas lanternas.

Durante a manhã, o ruído dos bombardeamentos foi ouvido em toda a cidade, várias ruas estavam desertas e os edifícios encontravam-se esventrados ou em ruínas, de acordo com a informação divulgada pelo correspondente francês.

O jornalista da France-Presse afirmou ainda que vários membros de uma família estão presos nos escombros, incluindo uma mãe com deficiência, o seu filho e neto.

Também neste dia, um bombardeamento da força aérea síria causou a morte de cinco civis em outras áreas do Ghouta ocupadas pelos rebeldes, segundo registos do Observatório Sírio.

Desde o início da ofensiva do regime de Bashar al-Assad nos arredores de Damasco, a 18 de fevereiro, os bombardeamentos mataram mais de 1.400 civis, incluindo 281 crianças, conclui o OSDH. Neste dia, mais de quatro mil civis fugiram de uma ofensiva rebelde no sul de Ghouta, detida pelo grupo islamita Faylaq al-Rahman. Nos últimos dias, quase 70 mil civis fugiram da região, informou ainda o OSDH.