Espionagem

Cientista russo confirma existência de projeto de armas químicas “Novitchock”

Cientista russo diz que foi um dos criadores do programa com o nome do agente neurotóxico que terá envenenado Skripal: "Novitchok não é uma substância, é todo um sistema de armas químicas"

FACUNDO ARRIZABALAGA/EPA

Um cientista russo citado esta terça-feira pela agência estatal Ria-Novosti disse que trabalhou no projeto de armas químicas “Novitchok”, implicado no envenenamento de Sergei Skripal, contrariando a posição de Moscovo de que este programa não existia. “Novitchok não é uma substância, é todo um sistema de armas químicas”, disse Leonid Rink, em entrevista à Ria-Novosti, que o apresenta como um dos criadores deste programa.

O agente neurotóxico Novitchok foi apontado por Londres como sendo a fonte do envenenamento do ex-agente duplo russo Sergei Skripal e da sua filha, no passado dia 4 de março, em Salisbury, no sul de Inglaterra. “Eles ainda estão vivos, o que significa que ou não era o sistema Novitchok ou estava preparado de forma errada”, disse Rink à Ria-Novosti.

A existência deste programa e a sua fórmula química foram reveladas pelo químico russo agora refugiado nos Estados Unidos Vil Mirzayanov, segundo o qual estes agentes de máxima eficácia foram desenvolvidos na década de 1980 por cientistas soviéticos. Após as acusações de Londres, Moscovo negou a existência de qualquer programa de desenvolvimento de armas químicas chamado “Novitchok”, tanto no tempo da URSS como na atual Rússia.

“Um grande grupo de especialistas estava a desenvolver o Novitchok em Moscovo e Chikhany: técnicos, toxicólogos, bioquímicos (…) Conseguimos um resultado muito bom”, afirmou Leonid Rink à Ria-Novosti. Segundo disse, durante o período soviético este sistema foi designado por “Novitchok-5”. “Este nome nunca foi usado sem o número que lhe estava associado”, acrescentou. Rink disse não acreditar que a Rússia esteja por trás do envenenamento de Sergei Skripal, hospitalizado em estado crítico, porque sabe que o uso deste agente neurotóxico pode ser rastreado.

“Disparar num indivíduo, que não apresenta qualquer interesse, um míssil deste calibre e depois fazê-lo sem alcançar o objetivo é o auge da estupidez”, defendeu. De acordo com o químico, a tecnologia do projeto “Novitchok” é acessível “para qualquer estado desenvolvido” ou grande empresa farmacêutica. “Desenvolver essa arma não é problema”, considera.

Questionado esta terça-feira pela Agência France Presse sobre a entrevista publicada na agência estatal Ria-Novosti, o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo manteve a sua posição: “Não havia qualquer programa de pesquisa e desenvolvimento sob o nome Novitchok”. O caso levou já a primeira-ministra britânica a anunciar no dia 14 a “suspensão de contactos bilaterais” com Moscovo e a expulsão de 23 diplomatas russos, aos quais foi dado o prazo de uma semana para deixarem o Reino Unido.

Depois disso, a Rússia reagiu e anunciou no dia 17 a expulsão de 23 diplomatas britânicos e o fim das atividades do British Council no país. Numa entrevista à BBC, o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, disse no domingo que Londres tem “evidências” de que a Rússia “desenvolveu e armazenou” o Novichok, o agente neurotóxico usado para envenenar Sergei Skripal e a sua filha, Yulia.

Os chefes de diplomacia da União Europeia (UE) condenaram na segunda-feira o envenenamento do ex-espião russo e da sua filha e admitiram considerar altamente provável o envolvimento da Rússia, como defende o governo britânico. Em comunicado, os ministros dos Negócios Estrangeiros dos 28, reunidos em Bruxelas, consideraram que “a vida de muitos cidadãos foi ameaçada por este ato impiedoso e ilegal” e assumiram levar “extremamente a sério” a avaliação do Governo do Reino Unido de que é “altamente provável” que a Rússia seja responsável pelo envenenamento dos Skripal.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
FC Porto

João Félix (e youth league) /premium

João Marques de Almeida
145

Uma mensagem para todos os portistas. Vamos dar os parabéns ao Benfica, esquecer os árbitros, ganhar ao Sporting na final da Taça e apostar nos nossos jovens jogadores nas próximas épocas. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)