A Direcção Nacional de Identificação Civil (Dinic) de Moçambique anulou 368 pedidos de bilhete de identidade (BI) nas últimas quatro semanas, devido a irregularidades, indicou o porta-voz da instituição, citado esta terça-feira pelo diário Notícias.

Alberto Sumbane afirma que os pedidos de BI foram rejeitados por terem sido detetados casos de duplicação de registo de nascimento com mudança de dados, alteração de idade e outros casos considerados graves.

“Se a pessoa já foi registada na base de dados, ficamos com a impressão digital e a foto, pelo que é fácil perceber que houve viciação de alguns elementos”, explicou o porta-voz da Dinic.

As pessoas envolvidas nos referidos casos serão encaminhadas às autoridades judiciais por falsificação de documentos, acrescentou Alberto Sumbane.

“Quando detetamos estes casos, entregamos os prevaricadores às autoridades competentes para que sejam responsabilizados conforme recomenda a lei, tendo em conta que a falsificação de documentos é crime”, concluiu.

A situação é recorrente: na primeira quinzena de fevereiro, o organismo suspendeu cerca de 100 pedidos de emissão de BI por suspeita de fraude. Em agosto de 2017, dez funcionários da Dinic foram alvo de processos disciplinares por envolvimento em atos de corrupção e cobranças ilícitas, relacionadas com adulteração de documentos.