Renault

Novo Renault Clio não vai ter diesel. Mas compensa

142

O mais popular dos modelos da marca francesa, o Clio, vai na quarta geração e foi recentemente alvo de um “restyling”. Mas a Renault já trabalha no seu substituto, que não possuirá motores a gasóleo.

Para a Renault, substituir o Clio nunca é tarefa fácil, especialmente agora, que a quarta geração tem sido a mais vendida na Europa, no que respeita aos veículos utilitários. Mas a vida não pára e a marca francesa tem de ter um novo Clio pronto para introduzir no mercado algures no início de 2019, para poder continuar a bater-se pela liderança e, idealmente, a mantê-la.

A 5ª geração será maior, com um estilo mais de acordo com os produtos mais recentes do fabricante gaulês, mas o mais importante é que futuro Clio não oferecerá motores alimentados a gasóleo. O que, aliás, permite à marca alinhar pela moda actual, em que os veículos mais pequenos e leves, como os utilitários, prescindem do diesel.

Esta é uma opção que faz sentido, pois não é cada vez mais difícil conseguir que os motores de pequena capacidade cumpram os limites de gases poluentes, especialmente se queremos uma potência minimamente interessante em troca. Por outro lado, as unidades a gasolina, com três cilindros para serem mais leves e compactas, sopradas por um turbocompressor, conseguem atingir consumos muito similares, contanto que se mantenha um ritmo civilizado.

A estratégia da Renault passará naturalmente por electrificar o futuro Clio, não com versões Mild Hybrid como ensaiou para o Scénic e que rapidamente decidiu não estender ao resto dos modelos, mas com sistemas híbridos em que o pequeno motor a gasolina surge amparado por um sistema bateria/motor eléctrico a 48V, o que permite usufruir de mais potência do que a solução tradicional a 12V. Se a isto somarmos um híbrido plug-in, que assegure pequenas deslocações em ambiente urbano em modo 100% eléctrico, então é fácil perceber que a saída de cena do diesel é uma bênção, pois os novos motores a gasolina devidamente electrificados podem ser melhores no que se refere aos custos de utilização e ambiente.

Prémios Auto 2017 Observador - A escolha dos portugueses

Chegou ao fim a primeira edição dos Prémios Auto Observador. Obrigado pela massiva participação e pelos mais de 40.000 votos recolhidos. Entre 65 modelos a votação, envolvendo um total de 34 marcas, confira aqui os resultados finais.

Chegou ao fim a primeira edição dos Prémios Auto ObservadorVer resultados
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt
Futuro

Acessibilidade digital e valorização do interior

António Covas

Quando se fala do futuro próximo do interior é bom não esquecer que em 2030 a geração dos nativos digitais já terá pelo menos 30 anos e os ecossistemas digitais serão o quadro de atuação mais comum.

Liberalismo

Subir a Avenida da Liberdade no 25 de Abril

Sérgio Loureiro

Gostava mais se fôssemos subir a Avenida da Liberdade. Subir para chegar a um Portugal e uma Europa melhores. Subir para que a Liberdade seja individual e plena, e não apenas a tolerada pelo Estado.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site