O programa do evento era claro:

  • Discurso de José Jorge Letria Presidente da Direcção e do Conselho de Administração da SPA
  • Entrega do Prémio Vida e Obra – António Damásio por Sua Excelência o Presidente da República Portuguesa, Professor Marcelo Rebelo de Sousa

No entanto, houve um percalço na apresentação. José Jorge Letria não só fez um discurso, como entregou o prémio ao neurocientista António Damásio. Tentando corrigir o erro, Jorge Letria convidou, no final do discurso de António Damásio, o Presidente da Republica a subir a palco “pelo significado que o momento” tinha para Marcelo Rebelo de Sousa.

Na sequência do erro de Letria, a Sociedade Portuguesa de Autores tirou da página oficial da Internet o programa em que aparecia que seria Marcelo Rebelo de Sousa a entregar o prémio.

A gala ficou ainda marcada pelo discurso da jornalista Sandra Felgueiras, que recebeu o prémio de “Melhor Programa de Informação” por “Sexta às nove”, e aproveitou para denunciar os casos de recibos verdes na própria equipa.

Rita Blanco, que recebeu o prémio de “Melhor Atriz” pelo filme Fátima, criticou os políticos do mundo, mas fez questão de dizer à audiência que “há excepções”.

Vários premiados aproveitaram também a gala para criticar a falta de apoio à cultura e a precariedade na área. A gala foi emitida, em direto, na RTP 2.