Conselho Europeu

António Costa e Mário Centeno esta quinta-feira no Conselho Europeu

Líderes europeus, entre os quais António Costa, reúnem-se entre quinta-feira e sexta-feira, em Bruxelas, na "cimeira da primavera", onde também estará presente Mário Centeno.

MANUEL ARAÚJO/LUSA

Os líderes europeus, entre os quais o primeiro-ministro português, António Costa, reúnem-se entre quinta-feira e sexta-feira, em Bruxelas, na chamada “cimeira da primavera”, na qual participará também, como convidado, o presidente do Eurogrupo, Mário Centeno. Em Bruxelas encontra-se também o líder do PSD, Rui Rio, que se “estreia” em reuniões do Partido Popular Europeu (PPE), na tradicional mini-cimeira da maior família política europeia, preparatória dos Conselhos Europeus.

Tradicionalmente dedicada a assuntos económicos, a “cimeira da primavera” abordará este ano diversos outros temas, entre os quais o envenenamento do ex-espião russo Sergueï Skripal, e contempla ainda reuniões noutros dois formatos: uma a 27, já sem a primeira-ministra britânica, Theresa May, para fazer um ponto da situação sobre as negociações para o ‘Brexit’, e outra a 19, os Estados-membros da zona euro, em nova “cimeira do euro” para prosseguir o debate sobre o aprofundamento da União Económica e Monetária. De acordo com a agenda dos trabalhos e a carta-convite enviada pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, aos 28 chefes de Estado e de Governo, os trabalhos começarão com uma discussão sobre o comércio, designadamente a ameaça de uma “guerra comercial” à luz do anúncio da imposição de taxas sobre as importações de aço e alumínio pelos Estados Unidos

Na sessão da tarde, os líderes europeus dedicar-se-ão, então, a assuntos económicos, abordando questões como o mercado único, o semestre europeu de coordenação de políticas e orçamentais na União Europeia (UE) e impostos, e o presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, estrear-se-á em Conselho Europeus, tendo sido convidado para dar conta dos trabalhos em curso ao nível do fórum de ministros das Finanças da zona euro em torno da união bancária.

À noite, haverá discussões sobre política externa, tendo Donald Tusk indicado na carta-convite que o envenenamento de Sergueï Skripal fará parte da agenda da cimeira. O presidente do Conselho Europeu disse esperar uma posição que vá além da manifestação de solidariedade para com o Reino Unido, uma vez que este incidente constitui um desafio para a segurança partilhada da União.

Para sexta-feira ficam reservadas, então, as discussões sobre a saída do Reino Unido da UE, a 27, e sobre o desenvolvimento a longo prazo da União Económica e Monetária, a 19, voltando Mário Centeno a intervir nesta última discussão.

Por seu turno, Rui Rio, naquela que é a sua primeiro deslocação internacional desde que preside ao PSD, iniciada na quarta-feira com um jantar com todos os eurodeputados sociais-democratas, participa ao final da manhã na reunião do PPE, onde terá oportunidade de encontrar, entre outros, os presidentes das três principais instituições europeias, todos eles pertencentes a esta família – Jean-Claude Juncker (Comissão Europeia), Donald Tusk (Conselho Europeu) e Antonio Tajani (Parlamento Europeu) -, e nove chefes de Estado e de Governo da UE membros do Partido Popular Europeu, entre os quais a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)