Rádio Observador

Marrocos

Marrocos. Divórcio à vista na família real?

O divórcio pode ter chegado à família real de Marrocos, mas apesar de algumas notícias assegurarem o fim do casamento de 16 anos de Lalla Salma com o rei Mohamed VI, não há confirmação oficial.

Antes de casar com o rei Mohammed VI de Marrocos ninguém a conhecia. Depois, e com o passar dos anos, Lalla Salma passou a ser admirada por todas as mulheres marroquinas. Da moda aos costumes, a mulher do rei de Marrocos simbolizou durante anos uma pequena abertura e modernização da família real marroquina.

Nunca usou véu e, ao contrário do que acontecia antigamente com princesas marroquinas, que se mantinham longe dos olhares públicos e se remetiam à reclusão do palácio real, em Rabat, Lalla Salma andou sempre de cabeça erguida ao lado do marido em todas as viagens e eventos em que o rei marcava presença, avança o jornal espanhol ABC. Mas quem é, afinal, Lalla Salma?

Selma Bennani, nome de solteira, nasceu em Fez, em 1978. A mãe morreu pouco depois, em 1981, e Selma ficou apenas com o pai, um professor universitário. Formou-se em matemática e mais tarde em engenharia informática numa universidade em Rabat. Trabalhou na Ona Group, uma das maiores empresas em Marrocos. Ela e o príncipe conheceram-se em 1999 e meses depois ficaram noivos. O casamento teve lugar no dia 21 de março de 2002, e desde então a imagem de família perfeita era já característica do casal que, segundo o mesmo jornal, tinha conseguido encontrar o “equílibrio entre a tradição e a modernidade”.

A constante presença ao lado do marido contrasta com o desaparecimento de Lalla nos últimos meses. A imprensa internacional adianta que o casamento entre os dois chegou ao fim. A notícia foi avançada inicialmente pela revista ¡Hola!, que cita fontes próximas da família real marroquina. Até agora ainda não há confirmação oficial.

O início do fim?

No passado dia 26 de fevereiro, o rei Mohammed VI foi submetido a uma operação numa clínica em Paris, para tratar um problema cardíaco. Pouco depois, a Casa Real Marroquina revelou um relatório médico, que revelava pouca ou nenhuma informação do estado de saúde do rei depois da operação, e uma fotografia em que está o rei com o irmão, o príncipe Mulay Rachid, com as irmãs, Lalla Meryem, Lalla Asma e Lalla Hasna, e com os dois filhos que tem com Lalla Salma, Moulay Hassan de 14 anos e Lalla Khadija de 11.

Quem não aparece na fotografia divulgada pela Casa Real Marroquina é Lalla Salma, o que pode indicar que nem sequer viajou com a família. O ABC adianta que muitos jornais internacionais especularam sobre se a fotografia da família teria sido tirada pela própria esposa do rei.

Já no início deste mês, a revista Hello! publicou uma grande reportagem sobre o envolvimento do rei Mohammed VI na defesa da “causa das mulheres” e, uma vez mais, não há qualquer referência à esposa. Esta semana, a mesma revista publicou uma notícia sobre o divórcio, em que também diz que com a ausência da mulher — que parecia ter uma “agenda própria”, sublinha outra notícia do espanhol ABC — o rei acabou por se focar também na sua recuperação.

Mas não foi só este ano que a ausência da princesa se começou a notar nos eventos oficiais e viagens de família. Em abril de 2017 Lalla Salma começou a dirigir a sua atenção para as causas sociais e para a fundação que criou contra o cancro, cujo nome é “Fundação Lalla Salma — Prevenção e tratamento do cancro”. As últimas aparições públicas da princesa aconteceram no ano passado, em outubro, na abertura do museu Yves Saint Laurent, em Marraquexe, e numa conferência sobre saúde em Montevidéu, no Uruguai.

As notícia de divórcio começaram a surgir no início desta semana, altura em que ambos completariam 16 anos de casamento, e depois de o rei Mohamed VI ter sido o primeiro rei do país a ter apenas uma esposa. Se a rutura se confirmar, Lalla Salma pode perder o título de princesa e alteza real.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)