14 de Agosto de 2002. O Sporting recebia o Inter e procurava um resultado que lhe permitisse sonhar com a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões. Acabaria por empatar o jogo a zero, hipotecando as hipóteses de garantir uma vantagem caseira sólida. Teria de resolver tudo em Milão. Sem sucesso: a eliminatória seguinte ditaria o afastamento dos leões, com os nerazzurri a venceram por duas bolas a zero e a atirarem os homens de verde e branco para fora da prova milionária.

Esse primeiro jogo em Alvalade está intimamente ligado à história de uma das maiores figuras do futebol mundial. Mas já vamos lá. Só um aperitivo delicioso: além de Toldo, Materazzi, Javier Zanetti, Di Biagio ou Vieri, o Inter que se apresentou em Alvalade contava com nada mais nada menos do que Sérgio Conceição no onze titular.

Os leões, por sua vez, eram orientados por László Bölöni. Havia Beto, César Prates e Rui Jorge. Mas também Pedro Barbosa, Toñito e Marius Niculae. E Ricardo Quaresma, que se começava a afirmar como um das maiores promessas do futebol mundial.

O jogo ia correndo até que, ao minuto 56′, Bölöni decidi agitar o encontro. Começava aí a fazer-se história: sai Toñito e entra um tipo de madeixas loiras, borbulhas no rosto, dentes desalinhados, corpo franzino e meias até aos joelhos. Era a estreia profissional de Cristiano Ronaldo.

O futuro “penta” bola de ouro não decidiu o jogo. Não há registo, aliás, que tenha colocado o Inter em sentido. E Ronaldo não voltaria a vestir mais a camisola do Sporting na Liga dos Campeões — no segundo jogo não e, na época seguinte,  trocou o verde do Sporting pelo vermelho do Manchester United.

Passaram quase 16 anos desde essa partida contra o Inter. E muitos, muitos, muitos jogos para Ronaldo. Esta sexta-feira, o capitão português completou o seu 900º encontro como profissional. E vingou esse empate de Alvalade — é que do outro lado estava Héctor Cúper, selecionador egípcio que era treinador do Inter em 2002. Desta vez, Ronaldo não ficou a zero: dois golos em dois minutos (92′ e 94′) ajudaram a servir a vingança gelada.