Dois dos homens que ajudaram a criar, juntamente com Cristopher Wylie, o programa informático usado pela Cambride Analytica, fundaram uma startup semelhante à empresa acusada de recolher e usar indevidamente dados de 50 milhões de utilizadores do Facebook — e apagaram das redes sociais qualquer menção de lá terem trabalhado.

Os seus nomes são Tadas Jucikas e Brent Clickard, e eram colegas próximos de Christopher Wylie na SCL Group, casa mãe da britânica Cambridge Analytica, revela uma reportagem da Buzzfeed News. No entanto, ao contrário de Wylie, que abandonou a empresa-mãe, a SCL Group, em finais de 2014, Jucikas e Clickard continuaram no meio e criaram a Genius AI dois anos depois. 

A startup é descrita no site como sendo uma empresa que “integra dados” e aplica “conhecimento proprietário e algoritmos” para “desbloquear o valor escondido nos dados”. A “Plataforma Genius AI”, dizem, é “um novo tipo de sistema de Inteligência Artificial” que “combina conhecimento” da “ciência de dados” e “investigação de aprendizagem automática” para permitir que as “equipas de marketing funcionem no seu potencial máximo”. No site, pouco mais é dito sobre a empresa ou para que tipo de clientes já trabalharam.

Os jornalistas do Buzzfeed tentaram visitar a Genius AI nos escritórios em Londres, mas os responsáveis da empresa recusaram falar. A única pessoa que falou com os jornalistas foi a rececionista, remetendo outras informações para um email. Os repórteres também tentaram entrar em contacto com a empresa através de umas moradas em São Francisco e em Washington, que aparecem listadas no site. Na primeira, foram recebidos por um segurança, que disse que o espaço estava desocupada há um mês; na segunda, tão pouco encontraram alguém no escritório.

O percurso de Wylie dentro da Cambridge Analytica é conhecido, mas não se sabe se Jucikas e Clickard mantêm alguma relação com a empresa. Conta a Buzzfeed que os três planeavam iniciar um negócio em finais de 2013 e que chegaram mesmo a desenvolver um pitch para uma empresa, à qual deram o nome Arg.us.

O projeto nunca avançou, mas antecede o que o trio acabou por fazer com a Cambridge Analytica. Dois anos após a saída de Wylie, Tadas Jucikas e Brent Clickard viriam a fundar a Genus AI, para a qual conseguiram um financiamento de 1 milhão de dólares de um fundo de capital de risco com sede em Berlim e empreendedores de Sillicon Valley, anunciaram numa publicação num blog.

Os perfis de LinkedIn de Jucikas e Clickard, por exemplo, não referem que ambos fizeram parte da SCL Group e da Cambridge Analytica. Mas existem vestígios do seu envolvimento. De acordo com a reportagem, há um perfil de Jucikas na rede social F6S, que foi entretanto apagado, mas que referia que o presidente da Genus tinha ajudado a “criar a Cambridge Analytica, que teve um papel na eleição de Donald Trump”.

Clickard, por sua vez, afirma num vídeo no YouTube que a coisa “mais fixe” em que trabalhou foi no “uso de dados de personalidade para personalizar a comunicação de candidatos em campanha para o Senado dos Estados Unidos”, algo que encaixa no método usado pela Cambridge Analytica para obter dados de utilizadores de Facebook.

Em declarações ao jornal espanhol La Vanguardia, fontes oficiais da Genus garantiram que nem os fundadores nem a empresa têm algum tipo de relação com a Cambridge Analytica. Afirmam que não têm relação com o SCL Group desde 2015 e que, enquanto lá trabalharam “ninguém participou em campanhas políticas”.

Sobre a Genus, Jucikas afirmou à Buzzfeed através de um email que a empresa “não tem — nem nunca teve — acesso a dados do Facebook” e que não usam “dados de Facebook de clientes”.