A Organização Não Governamental (ONG) Transparência Venezuela (TV) denunciou esta sexta-feira que os militares controlam 12 ministérios, seis dos 24 Estados do país e a distribuição de alimentos.

A denúncia foi feita pela diretora daquela ONG, Mercedes de Freitas, em Caracas, no fórum “Justiça Militar na Venezuela”, durante o qual explicou que “não se justifica a escassez de alimentos” no país e que o Governo venezuelano destinou 60 mil milhões de dólares para a alimentação.

Por outro lado, explicou que o poder dos militares faz-se sentir “na estrutura do Estado, no orçamento nacional (da Venezuela) e nas oportunidades de negócio ou corrupção” e no Ministério de Alimentação, que controlam desde há 12 anos. Segundo Mercedes de Freitas, o Governo venezuelano, através do programa estatal Grande Missão Abastecimento Soberano, entregou o “domínio total” da distribuição de alimentos ao Ministério da Defesa.

Isso terá permitido, explicou, que o ministro da Defesa, Vladimir Padrino López, controle a produção, distribuição, importação e comercialização de alimentos, sem fiscalização. Segundo a Transparência Venezuela, as Forças Armadas Venezuelanas têm 500 mil elementos, dos quais 11 mil estão em “posições de poder”.

Desde o início da revolução bolivariana, em 1999, os organismos militares têm recebido orçamentos “milionários”, particularmente nos últimos cinco anos. As investigações ao setor militar, explicou Mercedes Freitas, foram proibidas por uma sentença do Supremo Tribunal de Justiça.