Cerca de 59 milhões de egípcios estão inscritos para entre esta segunda-feira e quarta-feira votar nas eleições presidenciais que vão reeleger Abdel Fatah al-Sisi, o mentor do golpe militar de 2013 e que afastou desta campanha os principais opositores.

Sem rivais de peso após uma purga muito seletiva, a vitória do ex-marechal, 63 anos, está garantida. Moussa Mostafa Moussa, o único candidato que não se retirou da contenda ou não foi detido, é um fervoroso adepto do Presidente e optou pela quase total discrição durante a campanha.

Com a eleição garantida, a principal preocupação do governo do Cairo consiste em garantir uma razoável taxa de participação para legitimar a reeleição de al-Sisi — promotor do golpe de Estado que em julho de 2003 derrubou o Presidente islamita Mohamed Morsi –, e contrariar os apelos ao boicote da oposição.

Nas eleições de 2014, que decorreram entre 26 e 28 de maio, al-Sisi obteve 96,91% dos votos contra Hamdeen Sabahi, com uma taxa de participação de 47,5% segundo os números oficiais, muito contestados pelas oposições.