O artigo científico de Mario Schietroma, da Universidade de L’Aquila (Itália), publicado em 2014, foi retirado (retratado) pela revista The American Journal of Surgery depois de verificado que “o estudo não tem validade científica que suporte as conclusões do artigo”, noticiou a Retraction Watch. Este artigo foi citado pela Organização Mundial Saúde (OMS) no documento com as linhas orientadoras para a prevenção de infeções relacionadas com cirurgias — “Global Guidelines for the Prevention of Surgical Site Infection”. Ao Observador, a OMS garantiu que a notícia não compromete as orientações apresentadas.

Para a OMS, esta situação não implica a reformulação das linhas orientadoras, visto que o documento se baseia numa série de outros aspetos. A aplicação de oxigénio no perioperatório (desde o pré-operatório até à alta) é apenas um deles. “Contudo, a equipa vai definitivamente examinar de que forma a retratação [artigo retirado] afeta qualquer recomendação sobre a implementação das diretrizes”, respondeu a OMS.

No artigo retirado — “High-concentration supplemental perioperative oxygen and surgical site infection following elective colorectal surgery for rectal cancer: A prospective, randomized, double-blind, controlled, single-site trial” —, os autores referem que dar altas concentrações de oxigénio aos doentes durante e depois das cirurgias colorretais diminui o risco de infeção. O problema é que os resultados não são estatisticamente significativos como referem os autores.

“O estudo foi revisto por um estatístico e um comité de editores séniores da American Journal of Surgery e verificou-se que os resultados careciam de significância estatística”, referia o aviso de retratação.

Não é a primeira vez que Mario Schietroma vê artigos seus serem retirados nem que os resultados, quando verificados estatisticamente, não correspondem à conclusão. A Universidade de L’Aquila disse ao Retraction Watch que estava em curso uma investigação, mas não adiantou pormenores.

O investigador, por sua vez, respondeu que não concorda com a retratação do artigo e não teve oportunidade de se explicar à revista científica, mas também não adiantou mais pormenores à Retraction Watch.