Greve

Greve nos portos desconvocada após acordo entre administrações e trabalhadores

Os trabalhadores dos portos, à exceção dos Açores, desconvocaram esta quarta-feira a greve que decorria desde as 00h00 de segunda-feira, após chegarem a acordo com as administrações.

Tiago Petinga/LUSA

Os trabalhadores dos portos, à exceção dos Açores, desconvocaram esta quarta-feira a greve que decorria desde as 00h00 de segunda-feira, após chegarem a acordo com as administrações, indicou fonte do SNTAJP à Lusa. “A greve foi hoje desconvocada, à exceção do porto dos Açores. Chegou-se a um acordo”, disse fonte do Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações e Juntas Portuárias (SNTAJP).

Apesar de não adiantar pormenores, o sindicato referiu que “provavelmente” a greve no porto dos Açores será desconvocada ainda hoje. De acordo com uma nota enviada, na terça-feira, pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias (SNTAP), em causa estava a recusa da assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) por parte das administrações portuárias.

“Por outro lado, os resultados consubstanciados no referido acordo estiveram sempre dependentes das orientações recebidas pela tutela, segundo as informações que nos eram transmitidas. E foi por isso que esta direção sindical deixou cair outras reivindicações, exatamente para evitar inflacionar os custos”, acrescentou ainda o sindicato. A nota refere que existem outras razões para a greve “nomeadamente nos portos das regiões autónomas” e que as administrações não cumprem o ACT em vigor desde dezembro de 2015″. A greve dos trabalhadores dos portos estava prevista até às 24h00 de sexta-feira e incluía os portos de Viana do Castelo, Douro e Leixões, Aveiro, Figueira da Foz, Lisboa, Setúbal, Sines, Madeira, Açores e trabalhadores do terminal de granéis líquidos de Sines.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
CDS-PP

O governo merece uma censura /premium

João Marques de Almeida
120

Se o Presidente, o PM e os partidos parlamentares fossem responsáveis e se preocupassem com o estado do país, as eleições legislativas seriam no mesmo dia das eleições europeias, no fim de Maio. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)