O ministro da Defesa da Polónia, Mariusz Blaszczak, assinou esta quarta-feira um contrato de aquisição do sistema de mísseis antiaéreos Patriot por 4,7 milmilhões de dólares (3,8 mil milhões de euros), o maior contrato militar da história do país.

“Com esta compra entramos no clube de Estados com o sistema de defesa antiaérea mais avançado do mundo, o que constitui um grande passo em frente para as Forças Armadas polacas”, disse o Presidente, Andrzej Duda, que testemunhou a assinatura do contrato juntamente com o primeiro-ministro, Mateusz Morawiecki.

A operação teve um custo de 4,7 mil milhões de dólares, abaixo do valor de 10,5 mil milhões inicialmente previsto, segundo a agência de notícias espanhola Efe.

“Sabemos por experiência própria que a segurança não tem preço”, disse o ministro da Defesa, classificando as condições oferecidas de “muito vantajosas” para a Polónia.

O embaixador dos Estados Unidos em Varsóvia, Paul W. Jones, assinou o contrato representando os Estados Unidos, e afirmou que, com esta operação, Washington confirma a sua “solidariedade” e o seu compromisso com “cada território pertencente à NATO”.

A assinatura do contrato põe fim a três anos de negociações, durante os quais Varsóvia acelerou os esforços para modernizar o seu exército, no seguimento da anexação russa da península da Crimeia em 2014 e dos receios causados pelo expansionismo militar da Rússia na região.