O Governo brasileiro confirmou esta quinta-feira que vai candidatar-se a um lugar de membro não permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) no biénio 2022-2023, na vaga destinada aos países da América Latina e do Caraíbas. Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores do Brasil destacou que a candidatura “reflete o compromisso do país com o sistema político multilateral e o envolvimento construtivo nos processos decisórios sobre paz e segurança”.

O Governo brasileiro também afirmou que a decisão de lançar a candidatura é resultado do acordo alcançado com o governo das Honduras, através do qual antecipou a sua candidatura do biénio 2033-2034 para 2022-2023. “A participação brasileira no Conselho de Segurança das Nações Unidas no biénio 2022-2023 permitirá ao país, no bicentenário da sua independência, contribuir diretamente para as principais decisões sobre a paz e a segurança internacionais”, acrescentou a nota. A última participação do país no Conselho de Segurança da ONU aconteceu em 2010-2011. O Brasil já foi eleito para dez mandatos no Conselho de Segurança do órgão multilateral desde 1946.