João Miguel Ribeiro vai ser o próximo secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional, apurou o Observador. A escolha, concretizada em cima da saída do atual número um da estrutura do ministério (uma vez que, na prática, Gustavo Madeira terminava funções esta quinta-feira), é anunciada esta tarde.

O atual vogal do conselho diretivo da Agência para a Modernização Administrativa assume as novas funções já na próxima segunda-feira. De acordo com o perfil público, João Miguel Ribeiro é licenciado em Organização e Gestão de Empresas pela Universidade Moderna do Porto, com uma pós-graduação em Análise Financeira pelo Instituto de Estudos Superiores Financeiros e Fiscais.

Entre 2012 e 2016, foi diretor de Administração Geral da Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública (a ESPAP, para onde foi nomeado Tiago Joanaz de Melo, um nome que chegou a ser ponderado para a secretaria-geral do Ministério da Defesa). Na direção da ESPAP, João Miguel Ribeiro esteve ligado à gestão financeira, patrimonial e de recursos humanos.

Antes de chegar àquela empresa pública, dirigiu durante cerca de um ano e meio a Administração Geral da Agência para a Modernização Administrativa, em simultâneo com a coordenação operacional da Unidade de Gestão do Sistema de Apoios à Modernização Administrativa (desde julho de 2008).

Foi entre estes dois organismos — a ESPAP e a SAMA — que se dividiu ao longo da maior parte do seu percurso profissional. Num primeiro momento (entre abril de 2003 e junho de 2007) foi membro do painel de peritos de avaliação, responsável e gestor de projetos e técnico na área financeira do Programa Aveiro Digital 2003-2006.

A escolha de João Miguel Ribeiro foi, entretanto, confirmada pelo Ministério da Defesa Nacional. “O ministro da Defesa Nacional designou hoje [quinta-feira] João Miguel Martins Ribeiro para o cargo de secretário-geral do Ministério da Defesa Nacional, em regime de substituição, a partir de 1 de abril”, refere a nota enviada pelo ministério de Azeredo Lopes às redações.

Com a confirmação do nome de João Miguel Ribeiro, cai por terra a hipótese de Isabel Leitão regressar ao topo da estrutura dirigente do Ministério da Defesa, por onde passou em 2011 (acabando por ser afastada por Aguiar-Branco ainda antes de completar um ano no cargo). O nome da socialista chegou a estar em cima da mesa para a substituição de Gustavo Madeira.