Exploração Espacial

O lançamento do Telescópio Webb foi adiado. Outra vez

O telescópio James Webb afinal só vai para o espaço em maio de 2020. A NASA diz que faltam alguns testes para garantir sucesso da missão, mesmo que isso signifique ultrapassar o orçamento previsto.

NASA

O lançamento para o espaço do telescópio espacial James Webb,  um observatório para captar a radiação infravermelha que vai substituir o telescópio Hubble, voltou a ser adiado. De acordo com a Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço (NASA), a quem pertence o telescópio, a agência espacial norte-americana precisa de mais tempo para fazer testes “que garantam o sucesso da missão” não tripulada, mesmo que isso signifique ultrapassar o orçamento estabelecido para o projeto. Mas se os novos planos ultrapassarem os 8,8 mil milhões de dólares, ele terá de ser reavaliado pelo Congresso.

De acordo com o comunicado emitido pela NASA, foi uma avaliação independente ao telescópio James Webb que obrigou a agência espacial a abandonar os planos de lançar o observatório já em junho de 2019. “O Webb é o projeto de maior prioridade para a Diretoria de Missão Científica da agência, e o maior projeto internacional de ciência espacial na história dos Estados Unidos. Todo o equipamento de voo do observatório está completo. No entanto, as dúvidas quanto à nave espacial estão a levar-nos a tomar as medidas necessárias para reorientar os nossos esforços para a conclusão deste observatório ambicioso e complexo”, afirma Robert Lightfoot, administrador da NASA.

Desde 1996 que o telescópio espacial James Webb está a ser preparado pela NASA, mas na altura estava a ser construído com um orçamento de apenas 0,5 mil milhões de dólares. Quando a data de estreia foi repensada para fevereiro de 2019, um relatório do governo dizia que havia problemas com o escudo solar (desenhado para diminuir a quantidade de radiação que chega à máquina) e com os propulsores. Desta vez, o problema parece ser outro: “O teste feito ao hardware do telescópio do observatório e à espaçonave em si demonstra que esses sistemas obedecem individualmente às ordens. No entanto, descobertas recentes indicam que é necessário mais tempo para testar e integrar esses componentes e depois realizar testes ambientaisno empreiteiro do observatório do projeto”, explica a agência espacial dos Estados Unidos em comunicado de imprensa.

Entretanto, e com equipas por turnos que trabalham 24 horas por dia, a Agência Espacial Europeia está a terminar a montagem do veículo Ariane 5, responsável por levar para o espaço o telescópio espacial James Webb.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site