O antigo tenista norte-americano Andre Agassi anunciou este sábado ter deixado de ser o treinador do sérvio Novak Djokovic, depois de um mau início de temporada do 12.º classificado do ‘ranking’ ATP.

Agassi, de 47 anos, tinha começado a trabalhar com Djokovic, vencedor de 12 títulos do ‘Grand Slam’, em maio de 2017, mas deixa a equipa do sérvio após ambos terem estado “várias vezes a concordar com discordar” um do outro.

“Foi com a melhor das intenções que tentei ajudar o Novak (…) Desejo-lhe o melhor para o futuro”, afirmou o norte-americano, numa mensagem difundida pela cadeia norte-americana ESPN, após o Masters 1.000 de Miami.

Depois de ter sido eliminado nos oitavos de final do Open da Austrália, Djokovic foi operado a uma lesão num cotovelo antes de voltar aos ‘courts’, sendo eliminado logo na primeira ronda em Indian Wells, pelo japonês Daniel Taro, e em Miami, pelo francês Benoit Paire.

O antigo número um mundial tem tido vários treinadores ao longo dos últimos dois anos, tendo afastado o alemão Boris Becker em 2016 e o eslovaco Marian Vajda em maio do ano passado, depois de trabalhar com o antigo tenista desde 2007.