O Paris Saint-Germain conquistou este sábado a Taça da Liga francesa pela oitava vez, quinta de forma consecutiva, ao derrotar na final o Mónaco, treinado por Leonardo Jardim, por 3-0.

Em Bordéus, numa reedição da final da temporada transata, o PSG voltou a não ter dificuldades para erguer o troféu, entrando a ganhar com o golo de grande penalidade de Cavani, aos oito minutos, depois de falta sofrida por Mbappé.

Aos 21, o avançado francês, ex-jogador do Mónaco, desmarcou o argentino Di María para o segundo golo, sem que os monegascos tivessem reagido ao tento inaugural.

Só depois do 2-0 é que a equipa de Leonardo Jardim começou a aparecer, e aos 34, João Moutinho desmarcou Rony Lopes, que picou por cima de Trapp, mas a bola saiu a ‘roçar’ o poste da baliza dos parisienses, no primeiro lance de perigo dos monegascos, protagonizado pelos dois jogadores lusos em campo.

Três minutos depois, o extremo português cruzou para o cabeceamento do colombiano Falcao, com o ‘capitão’ dos monegascos a marcar, mas o tento foi anulado após consulta do vídeoárbitro.

Aos 41, tanto Rony Lopes, o jogador mais em evidência do lado do Mónaco, como Lemar testaram Trapp, que se opôs aos dois remates e impediu o 2-1.

No segundo tempo, Emery acertou as marcações dos parisienses, exploradas no final da primeira parte, e o jogo tornou-se mais equilibrado, sem tantas oportunidades claras de golo.

Aos 73, Rony Lopes foi substituído por Diakhaby e, seis minutos depois, foi Moutinho a abandonar o campo, no caso de maca, depois de uma entrada dura de Kimpembe.

Mbappé voltou a ‘brilhar’ ao desmarcar Cavani aos 85 minutos, com o avançado uruguaio a fazer o quarto ‘bis’ nas últimas cinco finais da Taça da Liga.

O Paris Saint-Germain ampliou o recorde de vitórias na competição, com oito cetros, enquanto o Mónaco igualou o Lyon na lista de equipas que mais vezes foram finalistas vencidas, com quatro derrotas em finais.