Os trabalhadores da Autoeuropa regressam esta terça-feira ao trabalho depois de uma paragem forçada, de dez dias, devido à falta de motores para os veículos a gasolina produzidos na fábrica de automóveis da Volkswagen em Palmela.

Segundo a administração da Autoeuropa, a paragem da linha de produção, no período de 24 de março a 2 de abril, ficou a dever-se a um “aumento da procura de veículos a gasolina”, que terá apanhado de surpresa alguns fornecedores da Volkswagen.

A fábrica de automóveis da Volkswagen em Palmela prevê atingir um volume de produção na ordem dos 240 mil veículos até final do ano, a maioria dos quais no novo modelo T-Roc.

Para aumentar o volume de produção de forma a satisfazer as encomendas do novo veículo produzido em Palmela, a administração da Autoeuropa já tinha implementado um novo horário, que inclui o trabalho aos sábados, mas alguns fornecedores parecem estar com dificuldades em acompanhar o ritmo da fábrica.

Certo é que a fábrica de Palmela deverá acelerar ainda mais o ritmo de produção a partir do próximo mês de agosto, data em que deverá ser implementado um novo horário de laboração contínua, que deverá ainda ser objeto de negociação entre a administração e a Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa.