A justiça alemã colocou Carles Puigdemont, o líder catalão da Generalitat, em liberdade sob fiança e descarta a prática do crime de rebelião, está a avançar a agência EFE. A decisão foi tomada pela Audiência Territorial de Schleswig-Holstein pouco mais de uma semana depois de um juiz alemão ter prolongado a custódia judicial do independentista. A liberdade dada ao supremo contraria assim o parecer da Procuradoria de Schleswig-Holstein, que pedia prisão incondicional para Puigdemont.

Esta decisão significa que o presidente destituído da Catalunha pode ficar em liberdade pelo menos até à conclusão do processo de extradição para Espanha, desde que pague 75 mil euros. Se Puigdemont for mesmo extraditado para Madrid, isso não poderá acontecer com base no crime de rebelião, mas apenas pelo crime de corrupção.

De acordo com o El Mundo, a decisão alemã justifica-se pelo facto de “não haver violência no processo” e de Puigdemont “não corre o risco de perseguição política. Em comunicado, o tribunal disse considerar que a imputação do delito de rebelião é “inadmissível”, embora o processo por corrupção continue em cima da mesa por causa da “fraude com fundos públicos”.