As principais bolsas europeias transacionavam esta sexta-feira em baixa, devido à intensificação da tensão entre Washington e Pequim que temem que desencadeie uma guerra comercial entre os dois países.

Cerca das 9h15 em Lisboa, o EuroStoxx 600 estava em baixa, a cair 0,51% para 374,20 pontos. As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt recuavam 0,20%, 0,49% e 0,70%, bem como as de Madrid e Milão, que desciam 0,54% e 0,34%, respetivamente. Depois de ter aberto em baixa, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 9h15, o principal índice, o PSI20, estava a descer 0,78% para 5.442,87 pontos.

Na última noite, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que estuda impor 100 mil milhões de dólares em taxas aduaneiras à China, que somam aos 50 mil milhões já anunciados em centenas de produtos chineses, como retaliação das taxas anunciadas pelo país asiático contra Washington esta semana.

A China respondeu esta sexta-feira e advertiu que vai contra atacar “contundentemente” contra as medidas dos Estados Unidos. Estas novas tensões comerciais entre os dois países provocaram correções na Europa, que também aguarda a publicação esta tarde dos dados do emprego nos Estados Unidos.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta, com o Dow Jones a subir 0,99% para 24.505,22 pontos, depois de ter subido em 26 de janeiro até aos 26.616,71 pontos, atual máximo desde que foi criado em 1896, e o Nasdaq a avançar 0,49% para 7.076,55 pontos, após ter subido em 12 de março até aos 7.588,33 pontos, atual máximo de sempre.

A nível cambial, o euro abriu em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,2238 dólares, contra 1,2228 dólares no fecho de quinta-feira. O barril de petróleo Brent, para entrega em junho, abriu neste dia em baixa, a cotar-se a 67,81 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,79% do que no encerramento da sessão anterior.