O Facebook suspendeu a empresa canadiana AggregateIQ, que, à semelhança da Cambridge Analytica, também terá tido acesso a dados de utilizadores daquela rede social para os usar na campanha do movimento que defendia a saída do Reino Unido da União Europeia, no referendo do Brexit, em 2016.

Segundo o jornal britânico The Independent, esta suspensão acontece depois de Christopher Wylie, o analista de dados que revelou à imprensa o esquema utilizado pela Cambridge Analytica para apoiar a campanha eleitoral de Donald Trump utilizando informações retiradas de milhões de perfis do Facebook, ter afirmado existirem ligações entre a AggregateIQ e aquela empresa — ambas detidas pelo grupo SCL.

A AggregateIQ terá feito com o referendo do Brexit o mesmo que a Cambridge Analytica fez com as eleições norte-americanas: através da recolha e tratamento de dados de milhões de utilizadores do Facebook, direcionou publicidade específica a cada utilizador no sentido de influenciar o sentido de voto no referendo.

“À luz de informações recentes sobre a possibilidade de a AggregateIQ estar afiliada com a SCL e, como resultado, poder ter utilizado de forma inapropriada dados dos utilizadores do Facebook, acrescentámo-los à lista de entidades que suspendemos da nossa plataforma enquanto investigamos”, lê-se num comunicado do Facebook. “A nossa revisão interna continua, e vamos cooperar completamente com todas as investigações pelas autoridades reguladoras.”

A AggregateIQ já reagiu, através de um comunicado em que nega as acusações.

“A Aggregate IQ é uma empresa canadiana de publicidade digital e de desenvolvimento de software. É e sempre foi 100% detida e operada por canadianos. A AggregateIQ nunca foi nem é parte da Cambridge Analytica ou da SCL. A AggregateIQ nunca teve um contrato com a Cambridge Analytica. Chris Wylie nunca foi funcionário da AggregateIQ”, escreve a empresa.

Depois de Chris Wylie ter divulgado a colaboração entre a Cambridge Analytica e a campanha de Donald Trump, foi Shahmir Sanni quem denunciou, também ao jornal britânico The Guardian, o esquema utilizado pela campanha do Vote Leave (pela saída do Reino Unido da UE) no referendo do Brexit.