Air France

Greve da Air France: 30% dos voos deste sábado cancelados, um dos quais em Portugal

Os trabalhadores da transportadora aérea permanecem em greve. Este sábado, foram cancelados quase um terço dos previstos. Entre eles está um dos três voos Paris-Lisboa-Paris agendados para este sábado

IAN LANGSDON/EPA

A greve dos trabalhadores da transportadora aérea Air France para reivindicar aumentos salariais levou ao cancelamento de 30% dos voos previstos para este sábado, um dos quais em Portugal, informou a empresa.

Fonte oficial da Air France em Portugal disse à agência Lusa que “se mantém” o que a empresa estimou na sexta-feira, isto é, que a paralisação vai cancelar a ligação Paris-Lisboa-Paris, a penúltima da transportadora aérea a partir da capital portuguesa no sábado, efetuando-se as restantes duas.

A mesma fonte acrescentou que os passageiros puderam ser recolocados noutras ligações ou escolher uma alternativa, como aconteceu na terça-feira, dia no qual, também devido a paralisação, foram cancelados dois voos da Air France em Portugal.

De acordo com a agência noticiosa AP, a greve está a afetar voos internacionais e nacionais (dentro de França), desde logo um quarto dos que estavam previstos nos aeroportos Charles de Gaulle e Orly, em Paris.

A Air France aconselha os passageiros a verificar o estado dos voos e assegura alternativas.

Em comunicado divulgado na sexta-feira, e em termos gerais, a Air France estimou assegurar 70% dos seus voos no sábado, no âmbito da greve dos pilotos, tripulantes de cabine e pessoal de terra.

Nos quatro dias anteriores de paralisação, a companhia informou que iria manter 75 a 76% dos seus voos gerais.

A transportadora prevê manter no sábado 75% dos voos de longo curso, 65% dos de médio curso com partida ou chegada do aeroporto Charles de Gaulle (Paris) e 70% dos voos de curta distância em Orly e na região.

A Air France estima que a taxa de grevistas entre os pilotos seja de 34%, entre os tripulantes de cabine 26,2% e entre o pessoal de terra 18,7%.

Convocada por 11 sindicatos de todas as profissões, este é o quinto dia de greve desde fevereiro para reivindicar um aumento salarial de 6%.

Depois de hoje, estão marcados outros seis dias de greve.

Estas paralisações custam à empresa milhões de euros por dia.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)