O homem que ficou gravemente ferido no incêndio que deflagrou no sábado na Torre Trump, em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, morreu, tendo o fogo provocado ainda ferimentos ligeiros em quatro bombeiros, foi hoje anunciado.

Segundo um responsável dos bombeiros da cidade, Daniel Nigro, o fogo, de causas ainda desconhecidas, começou num apartamento do piso 50 da Torrre Trump e provocou ferimentos graves ao seu único ocupante, um homem de 67 anos, que morreu pouco depois num hospital da cidade.

Incêndio na Trump Tower, em Nova Iorque. Trump diz que está resolvido

Daniel Nigro adiantou que dois bombeiros sofreram queimaduras e outros dois têm lesões que não especificou, mas que em nenhum dos casos há risco de vida.

A Torre Trump está situada na 5.ª Avenida, em Nova Iorque, próximo do Central Park. Era aqui a residência e os escritórios do Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, antes de chegar à Casa Branca, em janeiro de 2017.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com Daniel Nigro, citado pela agência Efe, nenhum dos elementos da família de Donald Trump estava no edifício quando eclodiu o incêndio, sendo que nos pisos onde o Presidente norte-americano tem a sua residência privada e os seus escritórios não houve registo de danos.

Ainda assim, assinalou aquele responsável dos bombeiros, havia fumo considerável em algumas partes do edifício.

O incêndio deflagrou pelas 18:00 locais (23:00 em Lisboa), tendo Donald Trump escrito depois na rede social Twitter que foi controlado.

Na mesma mensagem, Donald Trump acrescentou que a zona afetada foi “muito reduzida” e que os bombeiros fizeram “um grande trabalho”.

O edifício não teve de ser evacuado, mas no seu combate participaram cerca de 200 bombeiros.