Os SUV vieram para ficar e estão por todo o lado. Basta olharmos à nossa volta. Segundo dados recentes, os SUV já valem mais de 20% das vendas de ligeiros de passageiros em Portugal. No mercado europeu, a quota é ainda mais elevada. A verdade é que o fenómeno SUV é imparável. E sabe porquê? Já lá vamos. Primeiro, um pouco de história.

O primeiro SUV de que há memória foi um Chevrolet Suburban lançado no ano de 1935. Mais de oito décadas depois, e sob a mesma designação, este automóvel é o modelo mais antigo ainda em produção.

Hoje, continuamos a olhar para um SUV como uma espécie de ‘primo’ do jipe. Os clássicos jipes sempre foram carros com uma componente aspiracional, mas tinham, e continuam a ter, algumas desvantagens. São caros e pouco eficientes para o dia-a-dia. Além de que, na prática, nas mãos de muitos condutores, saem do asfalto apenas uma curta percentagem do tempo de utilização. Visionária, a Nissan lançou o Qashqai, percursor dos SUV na Europa, em 2007. Mais de uma década depois, o Qashqai continua a liderar no segmento.

Hoje, os fabricantes exploram e aproveitam ao máximo este filão. Neste momento, há mais de 800 modelos diferentes à venda. Citadinos, crossovers, compactos, de média dimensão ou de luxo. Praticamente todas as marcas apresentam os seus modelos de SUV. Mais ou menos desportivos, robustos, versáteis, mais vocacionados para o todo-o-terreno ou para a cidade, só para si ou com espaço para toda a família, com cerca de 3,5 metros ou mais de 5 metros de comprimento. Não importa se pode gastar cerca de 15 mil euros ou perto de 200 mil. Encontrará sempre um SUV ao seu gosto e à medida da sua carteira .

Atravessamos um momento em que todos querem um SUV, o carro da moda. Com esta ‘febre’, quem fica a ganhar? As duas partes. Os compradores, porque conseguem um carro tão desejado por um preço impensável há uma década. E os fabricantes, porque vendem mais e lucram mais.

Já que usamos a palavra no dia a dia, dá jeito sabermos o que quer dizer. Sport Utility Vehicles, em inglês, ou veículo utilitário desportivo, em português.

A verdade é que é fácil deixar-se deslumbrar por estes carros que reúnem o melhor de todos os mundos. Ora veja:

Versatilidade

Podem ter tração a duas ou às quatro rodas. Os 4×4 gastam mais, mas têm motores mais potentes e são ideais para terrenos off road. Mas mesmo os 4×2 são carros fortes, que sobem e descem ladeiras, andam na areia, na terra ou lama sem qualquer problema.

Capacidade

São carros espaçosos, onde cinco pessoas fazem uma viagem com todo o conforto. Existem ainda modelos com uma terceira fila de bancos, para 7 pessoas. Além disso, têm bagageiras espaçosas e bancos rebatíveis, o que aumenta significativamente a capacidade de carga.

Dinamismo e desenvoltura na cidade

Não são carros pequenos, mas são ágeis e com motores potentes, o que facilita os arranques. E compensam o facto de não caberem em qualquer buraco com a suspensão elevada, que permite andar em ruas acidentadas e estacionar em pisos irregulares.

A condução

A experiência da condução é um aspeto muito cativante. Por um lado, a ergonomia proporciona ao condutor uma posição elevada. Por outro, a potência e a segurança destes carros permitem ultrapassagens seguras e uma condução confiante e confortável, porque são carros robustos e estáveis.

Design

Os SUV são realmente atrativos, pelo seu design. Mesmo os carros de cor discreta chamam a atenção sem precisarem de fazer-se ouvir pelo ronco. Estilo não lhes falta.

O preço acessível

É possível comprar um SUV a partir dos 15.000 euros, um valor que não anda assim tão longe de alguns dos citadinos mais básicos do mercado.

Com as vendas deste tipo de carros a aumentar, cresce também o mercado de usados. Para quem não pode comprar um SUV novo em folha, não faltam boas oportunidades para adquirir um em segunda mão. Sem sair de casa, pode fazer uma boa pesquisa online e encontrar excelentes negócios. Nunca se sabe se é a partir deste link que vai poder encontrar o seu próximo carro e com ele ir para a estrada com mais estilo do que nunca.