As 613 vagas para médicos no Serviço Nacional de Saúde tiveram apenas 487 concorrentes, noticia o Jornal de Notícias. Os hospitais e centros de saúde ficaram assim com 20,6% de vagas para médicos recém-especialistas por preencher.

Para as especialidades hospitalares e de Saúde Pública o concurso ainda está a decorrer, pelo que a Administração Central do Sistema de Saúde não sabe quantos profissionais serão colocados e em que hospitais. O que se sabe é que para 503 vagas só concorreram 400 médicos.

Nos centros de saúde, das 110 vagas existentes para médicos de Medicina Geral e Familiar foram preenchidas 87. Ficaram por preencher vagas em 12 agrupamentos de centros de saúde ou unidades locais de saúde.

O Sindicato Independente dos Médicos diz que esta situação terá sido, em grande parte, causada pelo atraso de 10 meses do concurso. “O Ministério da Saúde não tem capacidade para atrair e fixar médicos”, refere o sindicato.