Há seis casos de sarampo confirmados em Portugal e mais um em investigação, num total de 21, de acordo com o novo balanço da Direção-Geral de Saúde (DGS). Isto significa que, ao todo, foram identificados 106 doentes, 100 dos quais já se encontram curados.

No boletim desta quarta-feira, a DGS voltou a lembrar que “a maioria dos casos tem ligação ao Hospital de Santo António, no Porto”, e que está a decorrer “a investigação epidemiológica detalhada da situação, que inclui a investigação laboratorial de todos os casos”.

O sarampo é transmitido “por contacto direto com as gotículas infecciosas ou por propagação no ar quando a pessoa infetada tosse ou espirra”. Segundo a DGS, os sintomas “aparecem geralmente entre dez a 12 dias depois da pessoa ser infetada e começam habitualmente com febre, erupção cutânea (progride da cabeça para o tronco e para as extremidades inferiores), tosse, conjuntivite e corrimento nasal”.