PGR

Equipa especial de três magistradas investiga crimes ligados do futebol

A procuradora-Geral da República criou uma equipa com três magistradas para investigar os inquéritos relativos a crimes ligados ao futebol, que começou a trabalhar no início deste mês.

Pedro Nunes/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A procuradora-Geral da República criou uma equipa com três magistradas para investigar os inquéritos relativos a crimes ligados ao futebol, que começou a trabalhar no início deste mês, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Em resposta à agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) explica que esta equipa, formada por três magistradas – duas procuradoras da República e uma procuradora-adjunta – do DCIAP e do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) vai ser responsável igualmente pela coordenação relativamente à investigação de todos os inquéritos relacionados com a matéria.

A equipa “analisará os procedimentos em curso, bem como as novas denúncias apresentadas e, na decorrência dessa análise, decidirá quais as investigações que deverão ser afetas à equipa e quais as que deverão ser concluídas pelos departamentos do Ministério Público em que tiveram início ou nos quais foram recebidas as novas denúncias”, explica a PGR.

A PGR reconhece que esta decisão resulta do aumento significativamente do número de denúncias relacionadas com o fenómeno desportivo, designadamente com o futebol. “Atendendo ao elevado número de casos, à sua dispersão territorial, bem como à repercussão social dos factos, considera-se fundamental que a investigação se desenvolva com conhecimento global do fenómeno, de forma concentrada, integrada e coordenada”, acrescenta a PGR.

A equipa de magistradas iniciou funções no passado dia 4 de abril e desenvolve a sua atividade no DCIAP, respondendo hierarquicamente, no âmbito dos inquéritos que lhe estejam afetos, ao diretor deste departamento.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
PGR

Marx, Maçonaria e Marcelo /premium

Helena Matos

O PS manda. O PCP governa-se. O BE policia. O PR diverte-se. A democracia apodrece. E, sim, porque havemos de querer contrariar este estado de coisas? Não podemos deixar-nos ir simplesmente?

Justiça

Extinguir o Tribunal Central de Instrução Criminal

João Miguel Barros

Escrever que a extinção do TCIC dá um sinal errado à opinião pública porque este foi o “tribunal que mandou prender Sócrates” é não compreender a essência do que é um Tribunal de Instrução Criminal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)