A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, afirmou esta quinta-feira que o surto de sarampo está “em fase de controlo”, mas não controlado, porque “há pessoas em período de incubação”. Graça Freitas disse à Lusa que, face às circunstâncias, o surto poderá ser dado como controlado, “no mínimo, dentro de duas semanas”.

A diretora-geral da Saúde falava na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, à entrada da “1ª Conferência Internacional de Emergência Médica”. Segundo Graça Freitas, o número de casos de sarampo confirmados subiu neste dia para 107 depois de na quarta-feira ter sido identificado mais um.

Há 24 casos ainda em investigação pelas autoridades, de acordo com o mais recente balanço da Direção-Geral de Saúde (DGS), divulgado neste dia. Dos 107 casos confirmados, 100 já estão curados.