O primeiro-ministro rejeitou esta sexta-feira que os acordos que suportam o Governo se baseiem em metas do défice e salientou que nenhuma medida acordada com os parceiros de esquerda será revista por causa do processo de consolidação orçamental.

António Costa assumiu esta posição sobre o Programa de Estabilidade, que esta sexta-feira será apresentado publicamente, após ter estado numa reunião de trabalho na Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) sobre a preparação do dispositivo especial de combate aos incêndios florestais.

Confrontado com a oposição do Bloco de Esquerda à inscrição de uma meta de défice de 0,7% este ano, o líder do executivo respondeu: “Os compromissos que temos e que estão expressos no Orçamento são sobre políticas e sobre medidas. E não há nenhuma medida ou política que vá ser revista para se cumprir o défice. O défice será cumprido, cumprindo tudo aquilo com que nos comprometemos com os portugueses, com o PEV, PCP e Bloco de Esquerda. Não damos o dito por não dito”, reagiu António Costa.